Doutrina

Cristã Ortodoxa

 

(Baseada nos ensinamentos da teologia Ortodoxa)

 

IV. A Fé Crista Ortodoxa

 


Contente:

Sõbre a Relação Entre A Fé Cristã e o Amor Cristão.

Sõbre A Divisão dos Santos Mandamentos de Deus em Duas Tábuas. Sõbre o Primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus. Sõbre o Segundo Santo Mandamento Da Lei de Deus. Sõbre o Terceiro Santo Mandamento da Lei de Deus. Sõbre o Quarto Santo Mandamento da Lei de Deus. Sõbre os Feriados, Da Santa Igreja. Sõbre os Jejuns da Santa Igreja. Sõbre o Quinto Santo Mandamento Da Lei de Deus. Sõbre o Sexto Santo Mandamento Da Lei De Deus. Sõbre o Sétimo Santo Mandamento Da Lei de Deus. Sõbre o Oitavo Santo Mandamento Da Lei De Deus. Sõbre o Nono Santo Mandamento da Lei de Deus. Sõbre o Décimo Santo Mandamento da Lei de Deus. Sõbre a Aplicação Dos Ensinamentos da fé E Da Religiosidade.


 

 

O Amor Cristão

 

 

Sõbre a Relação Entre

A Fé Cristã e o Amor Cristão

(O Amor Cristão Neste trabalho, a "Doutrina Cristã Ortodoxa" ficou subdividida em três partes essenciais: 1 A Fé Cristã; 2 A Esperança Cristã e 3 O Amor Cristão. Pode causar estranheza, a não adoção da forma, comumente usada nas seitas ocidentais, que adota a divisão da "Doutrina Cristã" em Fé, Esperança e Caridade. Deve salientar-se que esta última discriminação está em flagrante desacõrdo tanto com a Sagrada Tradição quanto com as Sagradas Escrituras (Ep. de S. Paulo aos Romanos, aos C&íntios, etc). e não reflete com a necessária exatidão as três virtudes principais da Religião Cristã).

 

710. Quais devem ser a atuação e os ftutos da verdadeira fé num cristão Ortodoxo?

Devem ser os seguintes:

  • Deve nascer no coração de um cristão Ortodoxo o verdadeiro e sagrado amor;
  • Devem ser realizados os atos inspirados por êste amor. "Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão (Circuncisão Costume hebraico, introduzido pelo profeta Moisés por ordem de Deus. Consiste em ligeira operação cirúrgica de caráter ritual, efetuada pelos rabinos. Até os tempos atuais praticada pelos judeus e maometanos (muçulmanos). Abandonada inteiramente pelo Cristianismo, por tornar-se obsoleta em virtude do Santo Sacramento do Batismo, que por si só purifica inteiramente de todos os pecados, inclusive do pecado original) nem a incircuncisão tem virtude alguma; mas sim a fé que opera por caridade (amor)" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Gálatas 5:6).

711. É suficiente a fé, sem a presença do amor e dos atos do Bem?

Não. A fé sem a presença do amor e dos atos do Bem não é suficiente, pois torna-se inútil e morta, não podendo levar o homem à eterna salvação. "Quem não ama a seu irmão permanece na morte" (1 Epístola universal de São João, apóstolo 3:14). "Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo?... Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta?... Vèdes então que o homem é justificado pelas obras, e não sómente pela fé. . . Porque assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta" (Epístola universal de São Tiago, apóstolo 2:14, 20, 24, 26).

712. Só o amor e os atos do Bem, sem a presença da fé não são suficientes?

Não, pois sem a fé não é possível amar a Deus verdadeiramente e os atos do Bem nunca serão inteiramente perfeitos. Pela fé em Nosso Senhor Jesus Cristo adquire-se o poder espiritual decorrente da graça divina, que leva ao, caminho do verdadeiro amor e permite tornar a própria vida terrena uma ininterrupta cadeia de atos de altruísmo e de bondade. "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova 'das coisas que se não vêem... Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados. Ora, sem a fé é impossível agradar-Lhe: porque é necessário que aquêle que se aproxima de Deus creia que Êle existe, e que é galardoador dos que 0 buscam" (Epístola aos liebreus 11:1, 3, 6).

"Todos aquêles, pois, que são das obras da Lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquéle que não permanecer em tõdas as coisas que estão escritas no livro da Lei, para fazê-las. E é evidente que pela Lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé." (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Gálatas 3:10-11), "Porque nóA pelo espírito da fé aguardamos a esperança da justiça" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Gálatas 5:5). "Porque pela Graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 2:8-9).

713. Como devemos considerar o amor que não está acompanhado por atos do Bem?

Éste amor não pode ser considerado verdadeiro. O Amor Verdadeiro por si só já se manifesta nos atos do Bem. "Aquêle que tem os meus mandamentos e os guarda êsse é que me ama; e aquêle que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a Êle" (Evangelho de São João 14:21). "Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para éle, e faremos nêle morada" (Evangelho de São João 14:23). "Porque esta é a caridade (o amor) de Deus; que guardemos os seus mandamentos," (l Epístola Universal de São João, apóstolo 5:3). "Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em Verdade" (1.-3 Epístola Universal de São João, apóstolo 3:18).

 

Sõbre a Lei De Deus

E os Santos Mandamentos

714. Quais são os meios para distinguir os atos do Bem dos atos do Mal?

Êstes meios são:

  • A Lei de Deus interna, isto é, os mandamentos da consciência;
  • A Lei de Deus externa, isto é, os santos manda. mentos de Deus.

715. A lei de Deus interna èncontra-se mencionada nos Livros Sagrados?

Sim. Falando dos pagãos o apóstolo das Nações diz: "Porque, quando os gentios (pagãos), que não têm Lei, fazem naturalmente as coisas que são da Lei, não tendo éles Lei, para si mesmos são lei. Os quais mostram a obra da Lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Romanos 2:14-15).

716. Uma vez que possuímos a Lei de Deus interna, que são os mandamentos da nossa consciência, para que fim precisamos ainda da Lei de Deus externa?

A Lei de Deus externa, isto é, os santos mandamentos de Deus, foi dada aos homens mercê do abandono em que ficaram os mandamentos da consciência humana. A humanidade mergulhada num abismo de pecados e impurezas de tõda espécie, devia ser salva pela intervenção direta de Deus. Esta salvação veio nos santos mandamentos de Deus, em os quais ficaram relembrados todos os elementoç necessários para a salvação do gênero humano. "Logo, para que é a Lei? Foi ordenada por causa das transgressões" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Gálatas 3:19).

717. Quando e de que maneira receberam os homens a Lei de Deus, externa?

Deus Todo-poderoso entregou ao profeta Moisés duas tábuas de pedra denominadas as Tábuas do Testamento, nas quais se achavam gravados os dez santos mandamentos. Êste acontecimento realizou-se no monte Sinai no deserto da Arábia, por ocasião da migração dos israelitas do Egito para a Terra Prometida (A Palestina) no ano 1512 antes do nascimento de Nos-so Senhor Jesus Cristo, isto é, cérca de 35 séculos passados.

718. Quais são os dez santos mandamentos da Lei de Deus?

São éstes os dez santos mandamentos:

1 Santo Mandamento: "Eu sou o Senhor teu Deus, não terás -outros deuses diante de mim."

2 Santo Mandamento: "Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo da terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te curvarás a elas nem as serviras

3 Santo Mandamento: "Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão."

4 Santo Mandamento: "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.

(A Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa conservou os dez Santos Mandamentos da lei de Deus na sua forma original sem a menor alteração. 0 mesmo não acontece com o texto adotado pela Igreja Católica Romana, onde os Santos Mandamentos foram arbitràriamente alterados. Assim ficou totalmente eliminado o 2 Santo Mandamento e o último ficou dividido em duas partes, formando dois Mandamentos distintos. Esta flagrante falsificação da Verdade constitui um dos maiores erros teológicos cometidos pelos papas desde que a Igreja Católica Ro, mana rompeu a união com a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa no século XI).

Seis dias trabalharás, e farás tôda a tua obra, mias o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus."

5 Santo Mandamento: "Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolongueni os teus dias na terra."

6 Santo Mandamento: "Não matarás."

7 Santo Mandamento: "Não adulterarás"

8 Santo Mandamento: "Nãofurtarás."

9 Santo Mandamento: "Não dirás falso testemunho contra o teu próximio."

10 Santo Mandamento: "Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo" (2.9 Livro de Moisés 20:1, 17).

719. Se os dez Santos Mandamentos de Deus foram destinados ao povo hebreu, por que razão devemos nós também cumpri-los?

Somos obrigados a cumpri-los porque foram confirmados por Nosso Senhor Jesus Cristo. Além disto o Filho Unigênito de Deus ensinou a forma correta de cumpri-los e de entendê-los. O Apóstolo'das Nações diz que os santos mandamentos de Deus são a lei inscrita nos corações de todos os homens a fim de que seja cumprida.

"Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos" (Evangelho de São Mateus 19:17). "Não cuideis que vim destruir a Lei ou os Profetas: não vim abrogar, mas cumprir" (Evangelho de São Mateus 5:17).

720. Estamos nós em condições de cumprir os dez santos mandamentos de Deus?

Sim. Estamos em condições de cumpri-los, pois Deus concede o auxílio a todos que a Êle se dirigem. Adulterar pecar contra a castidade.

 

Sõbre A Divisão dos

Santos Mandamentos

de Deus em Duas Tábuas

721. Qual é o signifioado da divisão dos dez Santos Mandamentos de Deus em duas tábuas?

Esta divisão significa que nestas tábuas distinguem-se duas qualidades de amor:

  • Amor a Deus e as obrigações dêle decorrentes;
  • Amor ao próximo e as obrigações quedêle decorrem.

722. Nosso Senhor Jesus Cristo lêz menção a êste assunto?

Sim. Eis a resposta dada pelo Nosso Salvador à per, guntasôbrç "Qual é o supremo mandamento da Lei de Deus:" "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de tóda a tua alma, e de todo o teu pensamento." Èste é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a êste, é: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Dêstes dois mandamentos depende tõda a Lei e os Profetas" (Evangelho de São Mateus 22:36-40).

723. Por que não existe um Santo Mandamento que ordene o amor do homem para consigo próprio?

Não havia necessidade de estabelecer um mandamento separado para um fenõmeno perfeitamente natural que oriente a vida de todo indivíduo: "Nunca ninguém aborreceu (odiou) a sua própria carne antes a alimenta e sustenta" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 5:5-29).

724. De que forma devemos amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos?

  • Devemos amar a Deus sôbre tôdas as cousas e pela razão de ser verdade inconfundível de ser Êle o nosso Deus;
  • Devemos amar ao próximo pelo nosso amor a Deus;
  • Devemos amar a nós mesmos pelo amor a Deus e ao próximo.

Todavia devemos sacrificar o amor a nós mesmos prol do amor a Deus e ao próximo. Da mesma forma o amor ao próximo deve ser sacri: cado em prol do amor a Deus. "Ninguém tem maior amor do que êste: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos" (Evangelho. de São João 15:13). "Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim, e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim, não é digno de mim" (Evangelho de São Mateus 10:37).

725. Que quer dizer amar a Deus pela razão de ser verdade inconfundível de ser Éle o nosso Deus?

Isto significa que devemos amar a Deus, porque Êle é infinitamente perfeito e por esta razão merece o amor perf eito e total.

726. Que quer dizer: "Amar a Deus sõbre todas as coisas?"

Amar a Deus sôbre tõdas as coisas significa que devemos amá-lo mais do que tudo neste mundo, e estar pre parados a sacrificar o nosso maior tesouro tanto material quanto espiritual, se fõr necessário para dar prova dêste nosso amor. É preferível desistir de tudo que possuímos a perder o amor e a benevolência de Deus!

727. Como devemos proceder a fim de acordar em nossos corações um amor verdadeiro e profundo a nosso Deus?

A fim de conseguir isto devemos:

  • Meditar sóbre o amor manifestado pelo Criador noato da criação do homem.
  • Meditar sôbre o amor demonstrado por Deus, que após infligir o justo castigo aos ho" mens que
  • pecaram, sacrificou o seu Filho Unigênito a fim de salvá-los da eterna condenação.
  • Meditar sóbre as infinitas e celestiais graças, que Deus proporcionou aos homens pelo supremo sacrifício do Filho de Deus.
  • Meditar sõbre o supremo altruísmo do amor divino, pois Deus nos dá tudo sem receber nada em retribuição à sua magnanimidade.

728. Quem são os nossos próximos?

Os nossos próximos são todos os sêres humanos sem nenhuma exceção. Amigo ou inimigo; cristão ou pagão; ortodoxo ou herege; homens de tõdas as raças, religiões ou credos políticos, todos êles são criaturas humanas e como tais devem ser considerados os nossos próximos. É evidente que os nossos irmãos da fé são mais queridos aos nossos corações, o que é bem natural, visto serem os mesmos filhos do único Pai celestial pela fé em Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

729. Que significa que devemos amar ao próximo pelo nosso amor a Deus?

Quer dizer, que devemos amar ao próximo pela razão que Deus o considera igualmente digno do seu supremo amor e o haver convocado a tomar parte da sua eterna felicidade nos Céus.

730. Co mo devemos amar ao próximo pelo nosso amor a Deus?

Devemos amar ao próximo como a nós mesmos.

731. Quando amamos ao nosso próximo como a nós mesmos?

  • Quando proporcionamos a êle tudo aquilo que desejamos obter em nosso próprio beneficio;
  • Quando não fazemos ao próximo tudo aquilo que desejamos evitar em relação a nós mesmos;
  • Quando cuidamos da salvação da alma do nosso próximo. "Portanto tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós" (Evangelho de São Mateus 7:12).

732. Quem nos ensinou que devemos amar também 1 ao nossos inimigos?

Foi Nosso Senhor Jesus Cristo, que perdoou aos seus algozes; orou por êles, ofereceu a sua preciosa vida em prol da salvação dêles e deu-nos o mandamento de amálos incondicionalmente: "Pai, perdóa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Evangelho de São Lucas 23:34). "Eu, porém, vos digo: Ama! a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos persequem; Para que sejais filhos de vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sôbre maus e bons, e a chuva desça sôbre justos e injustos" (Evangelho de São Mateus 5:44-45).

733. Que quer dizer que devemos amar a nós mesmos pelo amor a Deus?

Significa que Deus nos considera igualmente dignos de seu supremo amor e que nos convocou para partilhar na eterna felicidade.

734. Quando amamos a nós mesmos pelo amor a Deus?

Amamos a nós' mesmos pelo amor a Deus quando cuidamos sõbretudo da salvação das nossas almas imortais.

"Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo in, teiro, se perder a sua alma?" (Evangelho de São Mateus 16:26).

735. O amor cristão é imprescindível?

Sim. O amor cristão é absolutamente necessário, pois sem êle não podemos ser salvos: "Quem não ama a seu irmão permanece na morte" (I Epístola universal de São João, apóstolo 3:14).

736. Como manifestamos o amor cristão?

Cumprindo os santos mandamentos da Lei de Deus: "Aquêle que tem os meus mandamentos e os guar-

João. da, êsse é o que me ama" (Evangelho de São 14:21).

737. Se a Lei de Deus se resume em dois Santos Mandamentos principais (parágrafo 722), por que foram êles subdivididos em dez?

Isto foi feito a fim de proporcionar a melhor compreensão dos nossos deveres perante Deus e o próximo.

738. Quais são os Santos Mandamentos que tratam das nossas obrigações perante Deus?

Essas obrigações são indicadas nos primeiros quatro Santos Mandamentos.

739. Em que consistem êstes quatro Santos Mandamentos?

  • O primeiro Santo Mandamento indica que devemos adorar a Deus Verdadeiro, oferecendo-Lhe a devida adoração;
  • O segundo Santo Mandamento proibe-nos o culto de fetiches (estátuas, esculturas) (Veja-se o parágrafo 718. A alteração nos dez Santos Mandamentos de Deus introduzida pelos papas romanos foi causada pelo renascimento das artes plásticas. Os célebres escultores da época do Renascimento tiveram assim um vasto campo de atividades artísticas, criando obras de invulgar valor. Todavia as esculturas, representando Deus, a Santissima Virgem Maria, os Santos e os Anjos estavam em flagrante desacõrdo com o segundo Santo Mandamento de Deus. Havia, Pois, duas alternativas: ou impedir a criação de estátuas ou então suprimir o segundo Santo Mandamento. Os papas escolheram esta última solução, caindo num dos mais terríveis erros que jamais foi cometido na história do Cristianismo).
  • O terceiro Santo Mandamento ordena não perturbar a majestade de Deus de forma alguma, principalmente por meio de palavras vãs.
  • O quarto Santo Mandamento indica que, na veneração de Deus, devemos manter a ordem quanto ao tempo e os procedimentos.

740. Quais são os Santos Mandamentos de Deus que tratam sôbre as nossas obrigações para com o próximo?

As obrigações que temos em relação ao nosso próximo são contidas nos seis Santos Mandamentos finais:

  • O quinto Santo Mandamento recomenda-nos de amar e honrar o nosso próximo;
  • O sexto Santo Mandamento proíbe atentar contra a vida do próximo;
  • O sétimo Santo Mandamento proíbe atentar contra a pureza de costumes e a moral do nosso próximo;
  • O oitavo Santo Mandamento proíbe atentar contra a propriedade privada do próximo;
  • O nono Santo Mandamento proíbe molestar o próximo por meio de palavra unida ao sentimento de falsidade;
  • O décimo Santo Mandamento proíbe desejar o que quer que seja, de propriedade tanto material quanto espiritual do nosso próximo.

741. Nos seis últimos Santos Mandamentos de Deus estão contidas as obrigações concernentes a nós mesmos?

Sim. As obrigações concernentes a nós mesmos estio realmente contidas nos Santos Mandamentos que tratam das relações para com o nosso próximo, visto que devemos ama ao próximo como amamos a nós mesmos.

 

Sõbre o Primeiro Santo

Mandamento da Lei de Deus

742. Qual é o primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

"Eu sou o Senhor teu Deus, não terás outros deuses diante de mim."

743. Qual é o sentido das palavras: "Eu sou o Senhor teu Deus?"

Com estas palavras, Deus aponta ao homem para a sua passoa, ordenando-lhç de distinguir a suprema verdade sem nenhuma vacilação.

744. A que nos obriga a ordem de saber distinguir o Deus Verdadeiro?

Obriga-nos:

  • A conquistar o saber, que nos proporciona os conhecimentos sôbre os mistérios de Deus.
  • A assistir em profunda e piedosa contemplação os serviços sagrados celebrados nas Igrejas Ortodoxas, acompanhando a direta atuação de Deus nos Santos Sacramentos e principalmente no Santo Sacramento da Eucaristia;
  • A manter o'ambiente cristão no nosso próprio lar, por meio de atos do Bem, do Amor e da Caridade, aprofundando a fé dos familiares com palestras edificantes e construtivas para as almas;
  • A ler ou ouvir a leitura de obras religiosas, destinadas a levar ao nosso conhecimento as infalíveis verdades de Deus. Sobretudo, porém*, ler constantemente o Novo Testamento de Nosso Senhor Jesus Cristo, os Salmos do santo rei Davi e as obras dos Santos Pais da Igreja.

745. Como devemos entender os dizeres: "Nãoterás outros deuses diante de mim?"

Nestas palavras está encerrado o rumo que devem seguir, isto é:

  • Amar o único Deus verdadeiro;
  • Crêr nÊle;
  • Ter a Esperança nÊle;
  • Venerá-lo;
  • Orar a Êle.

746. Quais são as obrigações internas da adoração de Deus?

São estas:

  • A Fé irrestrita em Deus;
  • A permanente consciência da onipresença de Deus, Disto decorre, que devemos sempre lembrar que Deus vê não sômente os nossos atos mas também 1 os nossos pensamentos. A consciência disto deve, pois, mover-nos durante tôda a vida.
  • O temor de Deus. Devemos considerar a justa ira de Deus, como sendo a maior infelicidade que possa atingir-nos. "Tenha temor de Deus e cumpra os Seus mandamentos" (Ensinamentos da Fé Ortodoxa, cap. 12:13).
  • A confiança completa e ilimitada em Deus;
  • O amor sem limite a Deus;
  • A obediência total aos desígnios de Deus. Baseados neste princípio devemos aceitar tócia a manifestação da vontade de Deus, sem revoltar-nos contra as suas determinações, principalmente quando algo acontece em desacõrdo com os nossos próprios desejos;
  • A veneração de Deus, como do Ser Supremo.
  • A glorificação de Deus, como do Ser absolutamente perfeito;
  • A gratidão a Deus, como ao Criador, Previdente e Salvador;
  • A invocação de Deus, como do inteiramente Bom e Todo-poderoso Auxiliar em tõdas as boas ações.

747. Quais são as obrigações externas de adoração a Deus?

São estas as obrigações externas de adoração abeus:

  • Confessar a fé em Deus, isto é, declarar abertamente e sem vacilação que Êle é o nosso Deus e que a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa foi por Êle constituída.
  • Não negar, em hipótese alguma e sob nenhuma ameaça, a nossa inabalável fé em Deus, e na Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa, por Êle constituída.
  • Participar nas celebrações religiosas -da Santa Igreja.

748. Que mais devemos saber a fim de cumprir corretamente o primeiro Santo Mandamento de Deus?

Devemos conhecer quais são os pecados que contrariam êste Santo Mandamento.

749. Quais são êstes pecados?

Éstes são os pecados:

  • O ateísmo, isto é, aquêles que não admitem a existência de Deus.
  • Èstes o sábio e santo rei Davi considera simplesmente insanos, dizendo: "Disseo néscio no seu coração: não há Deus" (Salmo 14:1).
  • O politeismo, isto é, a crença na existência de numerosos deuses (Politeismo - Existem no globo terrestre ainda cerca de 1 bilhão e 350 milhões de politeistas, o que representa a maior parte da população do nosso planeta. Graphics Institute, N. Y. 52).
  • A indiferença na fé, isto é, quando uma pessoa faz parte da Santa Igreja, porém não participa dos Sãgrados Ofícios, não recebe os Santos Sacramentos e permanece indiferente a tudo que diz respeito a Deus e à Igreja.
  • Inimizade ou ódio aberto contra Deus. As pessoas que assim procedem, contrariam a palavra de Deus que diz: "Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Êle servirás" (Evangelho de São Mateus 4:10).
  • Heresia, ou interpretação errõnea da fé. As pes- soas que teimosamente não aceitam os ensinamentos da Santa Igreja, ou modificam arbitràriamente êstes ensinamentos cometem o gravíssimo pecado de heresia. A gravidade déste pecado consiste nisto: que os indivíduos que assim procedem não sómente permanecem no êrro, mas também atraem os seus semelhantes, que não possuem conhecimentos suficientes para opor-se aos "falsos profetas" (Existem cêrca de 16.000 seitas cristãs pela superfície do globo terrestre, o grosso das quais surgido no seio na Igreja Católica Romana).
  • Cisma, ou rompimento voluntário com a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa, na adoração em comum do Deus único.
  • Apostasia da fé. Pecado éste cometido, quando um fiel nega públicamente a sua Sagrada Fé Cristã Ortodoxa, movido pelo mêdo de perseguição, ameaças ou outros fatôres semelhantes.
  • Negação da fé. Pecado cometido, quando alguém procura induzir nos seus semelhantes a impressão de ter abandonado a Sagrada Fé Cristã Ortodoxa, ou que nunca -havia pertencido à Santa Igreja.
  • Falta de confiança em Deus. Êste pecado é próprio às pessoas que vacilam na fé, não se afirmam nas suas convicções e não possuem firmeza nas suas opiniões. (Exemplo: O Profeta Moisés, o Santo Apóstolo Pedro etc).
  • O Desespêro. Êste pecado é cometido, quando o fiel perde inteiramente a esperança de receber as graças de Deus; a confiança em Deus desvanecese por completo, permanecendo a convicção de que Deus não deseja ou não pode atender os seus pedidos, ou perdoar os seus pecados (Exemplo: Caim, Judas etc).
  • Fatalismo. A pessoa que se considera a si própria uma completa nulidade, deixando tudo a cargo de Deus, achando que qualquer esfõrço da parte do homem é obsoleto uma vez queDeus tem todos os poderes supremos, comete êste terrível pecado (O Fatalismo é próprio para a religião muçulmana (fundada pelo Mafoma) e certas seitas bramânicas indus. É diametralmente contrária aos ensinamentos da Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa * encontra-se em franca contradição com os Mandamentos de Deus).
  • Adivinhação. Êste pecaminoso proceder consiste em adivinhar o futuro, únicamente conhecido de Deus, por meio de processos de duvidosa honestidade, tais como leitura de cartas de baralho, interpretação de linhas da palma da mão etc. (Não se inclui nos procederes pecaminosos da adivinhação * santificada clarividência dos Profetas e dos Santos, pois esta última tem origem no próprio poder supremo de Deus).
  • Bruxaria. Êste pecado é cometido, quando uma pessoa desiste da fé de Deus e entrega-se à prãtica de magia e outras semelhantes, invocando o auxilio de poderes malignos sobrenaturais e tentando conseguir por meio dêles os seus nefastos objetivos (Na categoria de práticas contrárias aos Santos Mandamentos de Deus e da Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa, devem ser incluídas tõdas as associações que exploram os objetivos supra citados, inclusive as bem conhecidas "Umbanda," "Macumba," "Espiritismo," etc.).
  • Superstição. Éste pecado consiste em acreditar nos poderes sobrenaturais de objetos (Talismãs), na existência de fantasmas ou outras coisas de caráter semelhante, que não refletem em absoluto o poder supremo de Deus e não possuem com Êle ligação alguma.
  • Sacrilégio. Êste terrível pecado comete aquêle que profana os objetos, os lugares ou as pessoas consagradas a Deus ou aquêle que participa indignamente dos Santos Sacramentos.
  • Tentação de Deus. Chama-se assim o pecado de exigir que Deus faça o que se lhe pede ou então desejar dêle um milagre. "Não tentarás o Senhor teu Deus" (Evangelho de São Mateus 4:7).
  • Preguiça. Êste pecado é o mais comum e no entanto extremamente grave. Consiste em evitar os ensinamentos religiosos e de piedade, não assistir às celebrações sagradas nas Igrejas e não fazer as orações diárias a Deus.
  • Materialismo, isto é, apêgo às coisas materiais com prejuízo do amor a Deus.
  • Agradar ao seu próximo sem se importar em agradar a Deus.
  • Confiança no seu próximo, quando esta sobrepuja a confiança em Deus. O mesmo pecado comete aquêle que confia em si próprio, deixando de lado a confiança em seu Pai celestial.

750. Por que a confiança que depositamos em nosso próximo ou em nós mesmos contraria o primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

Isto na realidade acontece, porém, só quando a nossa confiança em outras pessoas ou em nós mesmos sobrepuja a nossa confiança em Deus. O resultado seria a perda por Deus do lugar que lhe é devido nos nossos corações, sendo êste lugar ocupado por um falsb ídolo, que neste caso seria um nosso próximo ou então a nossa imagem refletida, quando a excessiva confiança em si próprio passaria a denominar-se A autoconfiança."

751. Que dizem os Livros Sagrados sôbre o ato de agradar ao seu próximo?

"Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Gãlatas 1:10).

752. Que dizem os Livros Sagrados sõbre o ato de confiar nos seus semelhantes?

"Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor... Bendito o varão que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor" (Livro do Profeta Jeremias 17:5-7).

753. Como devemos proceder a fim de bem cumprir as nossas obrigações com relação a Deus?

Devemos negar a nossa própria personalidade: "Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo" (Evangelho de São Marcos 8:34).

754. Que quer dizer negar-se a si próprio?

A explicação é dada por São Baisílio Magno: "Nega-se a si próprio, quem rejeita as vestes do homem velho e os atos dêle, que estão sujeitos ao apodrecimento nos desejos luxuriantes. Nega-se, pois, a si próprio, quem desiste de tôdas as amarras terrenas, que possam refrear os desejos de beatitude. A negação total consiste em não amar a própria vida de uma maneira ardente e não ter em si próprio a confiança ilimitada" (Ensinamentos Ortodoxos: resposta: 8).

755. Qual é.a consolação que pode esperar aquêle que, negando-se a si próprio, priva-se de tôdaã as coisas agradãveis, divertimentos, etc?

Êste terá uma consolação cheia de graça divina, que é o maior tesouro imaginável; tão grande e tão sagrado, que o possuidor déle não desejará perdê-lo mesmo se fôr amea. çado de martírio ou de morte. "Pois assim como para conosco crescem os sofrimentos de Cristo, assim também por Cristo cresce o nosso confôrto" (2 Epístola de São Paulo apostolo, aos Coríntios 1:5).

756. A veneração dos Santos Anjos e dos Santos não contraria o primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

A veneração dos Santos Anjos e dos Santos não contraria em absoluto o primeiro Santo Mandamento, pois esta veneração não é a mesma que dispensamos a Deus. Pelo contrário, a veneração dos Santos é perfeitamente de acõrdo com o primeiro Santo Mandamento, visto que ela se aplica à graça divina, que envolve os Santos e atua por intermédio dêles. Fora disto não devemos esquecer que os Santos são instrumentos desta graça divina e, ao mesmo tempo, generosos intermediários entre os homens e Deus.

757. Por que razão devemos venerar e invocar a ajuda dos Santos Anjos e dos Santos?

  • Por que êles são amigos de Deus;
  • Porque êles amam a Deus e imploram por nós.

758. Em que consiste a diferença entre a veneração devida a Deus e a veneração que dispensamos aos Santos Anjos e aos Santos?

Veneramos a Deus como ao único e supremo soberano do Universo e da vida. Veneramos aos Santos Anjos e aos Santos como aos fiéis servidores de Deus e nossos auxiliares diretos ante o trono do Todo-poderoso.

759. Qual é a diferença entre a oração dirigida a Deus e a prece destinada aos Santos Anjos ou aos Santos?

É esta:

  • A Deus recorremos, suplicando que nos conceda o auxílio por meio do 'seu poder supremo.
  • Aos Santos Anjos e aos Santos oramos pedindo o apóio dêles mediante a sua intercessão junto a Deus.

760. A quem devemos recorrer preferencialmente, antes dos Santos Anjos e dos Santos?

Antes de todos os Santos Anjos e de todos os Santos devemos recorrer a Nossa Senhora e sempre Virgem Maria.

761. Por que razão devemos venerar e recorrer a Nossa Senhora e sempre Virgem Maria?

Devemos recorrer e venerar a Nossa Senhora e sempre Virgem Maria:

  • Porque ela é a Mãe de Deus;
  • Por que com a sua graça e santidade, ela é superior a todos os Santos Anjos e a todos os Santos;
  • Porque a intercessão dela junto a Deus é de maior importância e de maior valor.

762. Que são as Sagradas Relíquias?

Denominamos Relíquias Sagradas:

  • Os corpos e os ossos dos Santos;
  • Objetos que se encontravam em contato direto com Nosso Senhor Jesus Çristo (p. ex. Santo lenho, os cravos, a coroa de espinhos, o sudário etc).
  • Objetos que estavam em contato direto com Nossa Senhora e sempre Virgem Maria e os Santos (p. ex. partícula de vestes de Nossa Senhora, dos Mártires, Santos etc).

763. A veneração das Relíquias Sagradas e das Imagens Santas contraria o primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

Não contraria em absoluto o primeiro Santo Mandamento da Lei de Deus, porque esta veneração destina-se aos próprios Santos e não às suas imagens ou aos seus restos mortais.

 

Sõbre o Segundo

Santo Mandamento

Da Lei de Deus

764. Qual é o segundo Santo Mandamento da Lei de Deus?

O segundo Santo Mandamento da Lei de Deus reza:

"Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança de que há em cima nos céus, nem eni baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te curvarás a elas nem as servirás."

765. Que devemos entender sob o têrmo "imagem de escultura?"

A imagem de escultura significa tõdp e qualquer obra esculpida ou ídolo, que possa representar seja um Ser Superior de plano celestial, um ser inferior de plano infernal, um ser humano, ou finalmente, um ser de categoria inferior.

766. Que proibe, pois, o segundo SantoMandamento da Lei, de Deus?

Proíbe que se façam esculturas ou ídolos com objetivo de adorá-los ou venerã-los como deuses ou só para prestar homenagem de qualquer espécie a êste tipo de efígies.

767. O segundo Santo Mandamento proibe aos homens possuir imagens santas?

Não. Não há proibição alguma quanto às imagens santas. A prova evidente disto consiste em que o mesmo Profeta Moisés, que recebeu de Deus os santos mandamentos, teve ordem de colocar as imagens dos santos Querubins, lavradas nas placas de ouro, dentro do santuário do templo no qual se encontrava guardada a Arca da Aliança. Naturalmente, Deus não haveria de dar duas ordens contraditórias!

768. Por que razão êste exemplo é de tamanha importância?

Êste exemplo é de enorme importãncia, pois indica claramente que os ensinamentos da Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa sôbre a veneração de imagens santas são perfeitamente corretos.

769. Que é uma "Icona?"

"Icona" é uma palavra grega e significa uma imagem ou efigie. Na nossa Igreja Ortodoxa denominamos assim as Imagens Santas:

  • De Deus Pai, que como Criador do Universo inteiro é representado como uma pessoa de muita idade, porém em suprema dignidade e vigor;
  • De Nosso Senhor Jesus Cristo, filho de Deus, que se manifestou materialmente entre os homens, sen, do representado como um belo moço de cêrca de 30 anos, majestoso em sua divindade e belo em seu amor aos homens; (As Efígies de Nosso Senhor Jesus Cristo, que datam dos primeiros séculos do Cristianismo, apresentam um moço belo e sereno com o rosto livre de barbas, simbolizando o "Eterno jovem" - filho de Deus nascido antes de todos os séculos).
  • Do Divino Espírito Santo, apresentado em forma de pomba branca;
  • Da Santissima Virgem Maria, que aparece nas Imagens Santas como uma senhora cheia de celestial. dignidade e com expressão de infinito amor e piedade no seu meigo semblante;
  • Dos Santos Anjos, que são representados como moços belos e serenos com longas asas alvas nas costas; e
  • Dos Santos e as Santas, apresentados de acôrdo com os dados transmitidos pela Sagrada Tradição.

770. A veneração de Santas Iconas contraria o segundo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Se alguém tivesse a intenção de venerar a uma Santa Icona, como se esta fõsse uma divindade, contrariaria sem dúvida o segundo Santo Mandamento. Todavia, a veneração de Santas 1conas com objetivo direto de piedosa meditação sôbre os supremos atos de Deus e de seus Santos, não representa, em absoluto, um êrro condenável do ponto de vista do segundo Santo Mandamento. Neste último caso, as Santas Iconas tornaram-se livros abertos, cujo conteúdo, invés de ser escrito com caracteres impressos sõbre papel, é apresentado por meio de tintas, representando um conteúdo não menos sagrado sob forma de Imagens Santas. (Veja-se Cartas ao Bispo de Serenia de São Gregório Magno 9:9).

771. Com que disposição de espírito devemos venerar as Santas Iconas?

Pousando os nossos olhares sôbre a Santa Icona devemos erguer os nossos pensamentos a Deus e aos Santos, que nela estão representados. Devemos ter consciência que veneramos e dirigimo-nos às pessoas que apreciamos nas Santas Iconas, e que são meritórias de nosso inteiro respeito e de total veneração. Por esta razão, todos os lares ortodoxos devem possuir as Imagens Santas e venerã-las, pois, desta forma, torna-se mais fácil a conservação do contato permanente entre os familiares e Deus, manifestando-se, ao mesmo tempo, a nossa verdadeira e incorrupta fé nas verdades eternas, zeIosamente guardadas dentro da Santa Igreja Universal Apostõlica Ortodoxa.

772. Por que veneramos as Santas Relíquias?

    • Porque Deus fêz muitos milagres por intermédio delas;
    • Porque os corpos dos Santos foram um templo do Divino Espírito Santo e o instrumento de todo tipo de virtudes, evendo aguardar a gloriosa ressurreição.

773. Quais são os pecados contra o segundo Santo Mandamento da Lei de Deus?

    • 1 ) A idolatria, isto é, a adoração ou veneração de idolos ou falsos deuses.
    • 2) A ganãncia, isto é, o desenfreado desejo de possuir bens materiais em quantidade ilimitada.
    • 3) Gula (excessivo amor aos alimentos).
    • 4) Embriaguez (intemperança no beber o vinho e outras bebidas alcoólicas).
    • 5) Glutoneria (intemperança no comer)
    • 6) Orgulho.
    • 7) Desejo de glória e honrarias para si próprio.
    • 8) Hipocrisia, isto é, a externa manifestação de atos piedosos (p. ex.: jejuns, orações, esmolas, etc.), não participando dos mesmos interiormente no coração e no espírito: "E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Na verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em oculto; e teu Pai, que vê secretamente, te recompensará. E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Porém, tu, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em oculto; e teu Pai, que vê em oculto, te recompensará" (Evangelho de São Mateus 6:5-18).

774. Por que a ganância está ligada ao pecado da idolatria?

Porque assim ensinou o santo apóstolo Paulo: "Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sõbre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência, e a avareza (ganãncia), que é idolatria" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Colossenses 3:5). Homem ganancioso cuida mais dos bens materiais do que da salvação da alma e da eterna felicidade.

775. Que é o oposto a ganância?

O oposto a ganãncia é a generosidade.

776. Por que a gula, a embriaguez e a glutoneria estão ligadas ao pecado da idolatria?

Porque para èles o "deus é o ventre," como o diz São Paulo, apóstolo, uma vez que o desejo de bem alimentar-se sobrepuja todos os outros desejos, inclusive o desejo de alcançar o Reino dos Céus: "Cujo fim é a perdição; cujo deus é o ventre; e cuja glória é para confusão dêles, que só pensam nas coisas terrenas" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Filipenses 3:19).

777. Que é o oposto a gula, a embriaguez e a glutoneria?

O oposto dêstes pecados é a abstinência e o jejum.

778. Por que o orgulho e o desejo de glórias e honrarias são ligados ao pecado da idolatria?

O orgulho e o desejo de glórias e honrarias são ligados ao pecado da idolatria, porque o homem orgulhoso considera os seus talentos, as suas aptidões e os seus próprios atos, como-sendo superiores, mais perfeitos e mais sábios do que os de quem quer que seja, inclusive do próprio Deus, tornando-se, desta forma, um idólatra. Pois, não sómente adora-se a si próprio, mas também exige que os seus semellmntes façam o mesmo (p. ex. o rei Nabucadnezar, que mandou erguer a sua estátua e ordenou que todos a venerassem). (Lamentàvelmente na época atual re petem-se freqüentemente os erros cometidos pelo rei NabucadneÍar. Alguns possuidores de grandes fortunas enchem-se de orgulho e passam a considerar-se sêres superiores, exigindo excessivas homenagens e honrarias para as suas pessoas. Éste procedimento contraria o segundo mandamento da lei de Deus e representa um índice da decadência espiritual e cultural).

779 . Que é o oposto do orgulho, do desejo de glória e da hipocrisia?

O oposto dêstes pecados é a humildade e os atos do Bem feitos em segrêdo.

 

Sõbre o Terceiro Santo

Mandamento da Lei de Deus

780.- Qual é o terceiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

"Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão."

781. Quando tomamos o nome de Deus em vão?

  • Quando o pronunciamos sem o devido respeito ou em conversas fúteis;
  • Quando profèrimos blasfêmias;
  • Quando juramos sem necessidade alguma;
  • Quando não cumprimos o juramento, embora se possa cumpri-lo;
  • Quando juramos apoiados na mentira (O falso juramento);
  • Quando não cumprimos a promessa.

782. Quando se pronuncia o nome de Deus sem o devido respeito?

Isto acontece quando nos utilizamos do nome de Deus levianamente, em estado de ira ou praguejando. O mesmo concerne aos nomes dos Santos e de cousas santas. O Senhor não terá por inocente o que tomar o Seu nome em vão" (2 Livro de Moisés 20:7).

783. Quais são os pecados que contrariam o terceiro Santo Mandamento da Lei de Deus?

São os seguintes:

  • A blasfêmia, isto é, expressões arrogantes e feias contra Deus: "E aquêle que blasfemar o nome do Senhor, certamente morrerá" (3 Livro de Moisés 24:16).
  • O protesto contra Deus e Sua providência;
  • O zombar de Deus ou de alguma outra coisa santa. Aste pecado é cometido quando nos utilizamos do nome de Deus ou de coisas a Éle consagradas para fins de brincadeira, caçoadas ou insulto.
  • A desatenção na oração;
  • O falso juramento, isto é, quando alguém jura dizer a verdade e faz declarações mentirosas;
  • O não cumprimento do juramento. Êste pecado é cometido, quando alguém presta um juramento e não o cumpre.
  • O não cumprimento de promessas feitas a Deus.
  • O usoleviano do nome de Deus em conversas, palestras etc.
  • O praguejar, isto é, quando pronunciamos palavras .Obscenas e arrogantes destinadas a molestar o nosso próximo.

784. Por que o falso juramento é um pecado sobremaneira grave?

Porque:

  • Quem o comete invoca nêle a Deus a verdade suprema e infinita, a fim de servir de testemunha à mentira;
  • Quem o comete destrói o último e principal meio, existente dentro Àa nossa sociedade humana, destinado à preservação da verdade e que assegura a Lei e a justiça.

785. Por que os Livros Sagrados proibem o uso leviano do nome de Deus?

Porque Nosso Senhor Jesus Cristo disse: "Eu, porém, vos digo que de maneira nenhuma jureis... Seja, porém, o vosso falar: sim, sim, não, não, porque o que passa disto é de procedência maligna" (Evangelho de São Mateus 5:34-37).

786. Que é um juramento?

Jurar, quer dilzer chamar a Deus por testemunha, que se fala a verdade, ou que se deseja cumprir aquilo que se prometeu.

787. Êste Santo Mandamento proibe prestar juramento em assuntos sociais?

Não. O santo apóstolo dos Gentios diz: "Porque os homens certamente juram por alguém superior a êles,'e o juramento para confirmação é, para êles, o fim de tõda a contenda. Pelo que, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento; Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Hebreus 6:16-18). Foi o próprio Deus que deu o ckemplo do juramento. Devemos, pois, concluir que nos casos de excepcional gravidade e importância, principalmente tratando-se de juramento exigido pelos legítimos poderes do pais, não devemos, em hipótese alguma, esquivar-nos do mesmo, mantendo o firme propósito de cumprir tudo aquilo que havíamos prometido.

788. Em que casos o juramento constitui um pecado?

Nos seguintes casos:

  • Quando o juramento é prestado sem necessidade alguma;
  • Quando o juramento é prestado sõbre assunto de pouca importância;
  • Quando é prestado um falso juramento;
  • Quando se jura cometer uma maldade ou desonestidade.

789. Que é uma promessa?

É um compromisso voluntário que assumimos perante Deus, mediante o qual Lhe prometemos de cumprir uma boa ação ou realizar um feito de agrado do nosso Pai Celestial. O não cumprimento da promessa dada a Deus, constitui um grave pecado. É costume, que data dos primeiros séculos do Cristianismo, fazer promessas a Deus por ocasião de graves necessidades, perigos ou desgraças que nos atingem em diversas ocasiões da vida. Pede-se a Deus, que estas vicissitudes sejam de nós afastadas, prometendo, em retribuição, praticar atos de caridade, fazer uma peregrinação aos Lugares Santos, dedicar-nos por algum tempo ao cuidado dos enfermos, ou outras coisas semelhantes.

790. Quando veneramos o sacrossanto nome de Deus?

Veneramos:

  • Quando o pronunciamos com todo o respeito;
  • Quando o invocamos com tõda a confiança;
  • Quando chamamos a Deus como testemunha numa causa justa;
  • Quando cumprimos as promessas feitas a Deus: "Se havias prometido a Deus, não deixe de cumprir" (Sermões 5:3).
  • Quando tôdas as nossas ações, palavras e pensamegotos são executados e dedicados à maior glória do sacrossanto nome de Deus.

 

Sõbre o Quarto Santo

Mandamento da Lei de Deus

791. Qual é o quarto Santo Mandamento da Lei de Deus?

É o seguinte: "Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás tõda, a tua obra, mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus."

792. Qual é o dia da semana que deve seir consagrado a Deus?

Na Lei Antiga êste d ia denominava-se "Sabath," que quer dizer O descanso. Na Lei Nova êste dia passou a denominar-se O Domingo em homenagem permanente ao Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo (dies Domenicaem latim quer dizer o dia do Senhor).

793. Por que razão Deus determinou que se festeje o sétimo dia da semana e não outro dia qualquer?

Porque Deus criou o Universo em seis dias, tendo descansado no sétimo dia.

794. A Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa festeja o dia de sábado?

A Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa não fes. teja o dia de sábado como um feriado total. Todavia, em comemoraçao a criação do Universo, e mantendo a antiga tradição, êste dia é festejado por meio de celebração vespertina do Serviço Religioso, no qual se relembram também os acontecimentos relacionados com a criação e com os primeiros homens, ficando também mais brando o jejum.

795. Como se deve cumprir o quarto Santo Mandamento da Lei de Deus?

Deve-se cumpriáo obedecendo aos sagrados ensinamentos da Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa e festejando, não o último dia da semana que é o sábado, mas sim o 1 dia da semana que é o domingo.

796. Desde que época, a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa festeja o dia de domingo?

Desde a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. O domingo deve ser para os cristãos uma recordação saudosa, uma data memorável e santificada, da mesma forma como para os liebreus era o dia êle Sabath (sábado). No domingo Nosso Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos. No domingo o Divino Espírito Santo desceu sõbre os santos apóstolos, sendo instituída a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa. No domingo iniciou-se a pregação do santo Evangelho. Na sua Epístola universal diz o santo apóstolo Barnabé: "Celebremos o domingo com alegria, em memória da ressurreição de Jesus Cristo, porque foi neste-dia que Êle ressurgiu."

Nos primeiros séculos do Cristianismo, as constantes perseguições impediram que se festejasse êste dia com absoluta regularidade. Todavia as épocas de paz e tranqüilidade para a fé cristã que haviam surgido posteriormente, permitiram que em todos os dias dominicais os fiéis se reunissem a fim de tomar parte no Santo Ofício da Divina Liturgia, homenageando o seu Deus único no Santíssimo Sacramento.

Houve várias tentativas, porém sempre frustradas, por parte dos ateus e inimigos da santa fé, que visavam extinguir a tradição de festejar o domingo. (Revolução Francesa, Revolução Russa etc). O "dies Domenica," entretanto, enraizou-se de maneira tão perpétua entre todos os povos de cultura cristã, que não há dúvida quanto à permanência desta santificada tradição até a consumação dos séculos.

797. Deve-se, então, festejar todos os domingos, assistin ao Santo Ofício da Divina Liturgia?

Sim. Deixar de assistir à Santa Missa constitui um grave pecado.

798. Os Livros Sagrados mencionam a necessidade de festejar o domingo?

Sim. "E no primeiro dia da semana (dia da semana domingo), ajuntando-se os discípulos para partir o pão" (Partir o Pão - denominação dada pelos primeiros Cristãos ao Santo Ofício da Divina Liturgia) (Atos Apostólicos 20:7). "Eu fui arrebatado em espírito no dia do Senhor" (O dia do Senhor outra denominação do domingo) (Apocalipse de São João, apóstolo 1:10).

799. Que devemos ainda entender sob a denominação. "O dia do Senhor?"

Na Lei Antiga, a denominação Sabath (Sábado) era dada não sómente ao sétimo dia da semana, mas também a todos os dias festivos destinados a homenagmr a Deus (p. ex. O dia da Páscoa, o dia da Purificação, etc). Na Igreja da nova Lei a Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa, devemos, ao lado do domingo, festejar também todos aquêles dias que foram designados para a adoração do nosso Deus, da Santissima Virgem Maria, dos San, tos Anjos e dos Santos, como também dedicar tôda a atençãó à manutenção correta de jejuns (Veja-se: "A Profissão de Fé Ortodoxa": 3 Parte, perg. 60, e 1 Parte, perg. 88).

Sõbre os Feriados,

Da Santa Igreja

800. Quais são os dias festivos da Santa Igreja Universal Apostõlica Ortodoxa?

Distinguimos os seguintes tipos de dias festivos da nossa Santa Igreja:

  • A "Festa das Festas" e o "Feriado dos Feriados," isto é, a Festa Magna da Santa Igreja A Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • Os grandes Dias Festivos ou os Grandes Feriados (Os "Feriados Duodécimos" ou os "Doze Feriados").
  • Os Feriados Médios.
  • Os Feriados pequenos (ou menores).

801. Por que consideramos a Páscoa de Nosso Senhor'1esus Cristo como sendo o maior dos feriados da Santa Igreja?

A Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo é o maior dos feriados, porque neste dia comemora-se a ressurreição do Nosso Salvador. Êste Feriado é, ao mesmo tempo, um perpétuo indício de um feriado eterno na felicidade celestial na bemaventurança do século futuro.

802. Quais são os grandes dias festivos ou grandes feriados da Santa Igreja?

Os grandes feriados da Santa Igreja são os seguintes:

  • A natividade de Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria: festeja-se no dia 8 de setembro.
  • A apresentação de Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria (Consagração de N. Sra. no Templo de Jerusalém: festeja-se no dia 21 de novembro).
  • A anunciação de Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria: festeja-se no dia 25 de março.
  • O nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo (O Natal) : festeja-se no dia 25 de dezembro.
  • O batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo (A Epifãnia) : festeja-se no dia 6 de janeiro.
  • A purificação ou a apresentação no templo de Nosso Senhor Jesus Cristo: festeja-se no dia 3 de fevereiro.
  • A transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo: festeja-se no dia 6 de agõsto.
  • Domingo de Ramos: festeja-se no domingo que antecede a Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo: festeja-se 40 dias depois da Páscoa de N. S. jesus Cristo.,
  • A Festa de Pentecostes, chamada, assim porque celebra-se no 50.9 dia depois da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • A festa da Exaltação da Santa Cruz: festeja-se no dia 14 de setembro.
  • A festa da Assunção de Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria: festeja-se no dia 15 de agôsto.

803. Quais são os feriados médios da Santa Igreja?

São os seguintes:

  • A Circuncisão de Nosso Senhor Jesus Cristo: fesleja-se no dia 1 de janeiro.
  • A Festa dos Três Luminares da Santa Igreja: São Basílio Magno, São Gregório o Teólogo, e São João Crisóstomo: festeja-se no dia 30 de janeiro.
  • A Natividade de São João Batista: festeja-se no dia 24 de junho.
  • A Festa dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo: festeja-se no dia 29 de junho.
  • Decapitação de São João Batista: festeja-se no dia 29 de agõsto.
  • O Santo Omoforion de Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria: festeja-se no dia 31 de agósto. É considerado feriado médio também aquêle em que se comemora um santo ou uma santa cujo nome é dado à Parõquia.

804. Quais são os feriados pequenos ou menores da Santa Igreja?

São êstes:

  • festa do Grão-Mártir e Vitorioso São Jorge: festeja-se no dia 23 de abril.
  • festa de São Nicolau o Milagroso: festeja-se no dia 6 de dezembro. Neste dia comemora-se a trasladação das Sagradas Relíquias de São Nicolau da cidade de Mirra na Líquia (Ásia Menor) para a cidade de Bari (Itália).
  • A festa do Santo Profeta Elias: festeja-se no dia 20 de julho. (A vida e as obras do Santo Profeta Elias estão encerradas no 1 e no início do 2 Livro dos Reis).
  • A festa do Grão-Mártir Demétrio: festeja-se -no dia 26 de outubro.
  • A festa de São Miguel. Arcanjo: festeja-se no dia 8 de novembro.

É considerado feriado pequeno também aquêle. em que se comemora um santo-ou uma santa local, especialmente venerado (a) na região.

 

Sõbre os Jejuns da Santa Igreja

805. Quais são os jejuns da Santa Igreja?

Temos os seguintes jejuns na nossa Santa Igreja:

  • O Grande Jejum ou Quaresma, incluindo-se ainda a Semana Santa. Êste jejum dura quarenta dias e começa 6 semanas antes da Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • O jejum de São Pedro e São Paulo, que se inicia uma semana depois da Festa de Pentecostes e estende-se até o dia 29 de junho inclusive. Êste jejum foi instaurado a fim de incentivar-nos a imitar os Santos Apóstolos, os quais por meio de jejum se preparavam para a grande obra de pregação do Santo Evangelho. "E, servindo êles o Senhor, e jejuando." (Atos Apostólicos 13:2).
  • O jejum em louvor da assunção de Nossa Senhora: estende-se do dia 1 ao dia 14 de agõsto inclusive. Êste jejum é instaurado a fim de proporcionar-nos uma preparação mais digna para a comemoração desta maravilhosa Efeméride do "Adormecimento" da Santíssima Mãe de Deus.
  • O jejum do Natal ou da Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Inicia-se no dia de São Filipe (15 de novembro) e estende-se até a véspera do Natal, no dia 24 de dezembro. Independente dêstes 4 jejuns principais devem ser mencionados todos os respectivos dias de jejum.

806. Quais são os dias de jejum.

Os dias de jejum prescritos pela Santa Igreja são os seguintes:

  • Tôdas as quartas e sextas-feiras da semana com exceção daquelas que caem na "Semana do Publicano e do Fariseu" e na semana após a grande festa de Pentecostes.
  • No dia 24 de dezembro, que é a vigília do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • No dia 5 de janeiro, que é a vigília da Epifânia (O batismo de Nosso Senhor Jesus Cristo).
  • No dia 29 de agõsto, que é a comemoração da decapitação de São João Batista.
  • No dia 14 de setembro, que é a festa da exaltação da Santa, Cruz.

807. Por que razão denominamos o Grande Jejum: "A Quadrigentésima?"

Denominamos assim em vista de ser a sua duração de quarenta dias além da Semana Santa.

808. Por que o Grande Jejum tem a duração de quarenta dias?

Estende-se pelo eispaço de quarenta dias em comemoração do Jejum de nosso Senhor Jesus Cristo: "E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites" (Evangelho de São Mateus 4:2).

809. Por que devemos jejuar nas quartas e nas sextas-feiras?

Jejuamos às quartas-feiras em comemoração da traição de Judas Iscariota, em conseqüência da qual Nosso Senhor Jesus Cristo suportou horríveis padecimentos. O Jejum das sextas-feiras é destinado a homenagear a morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que ocorreu neste dia da semana.

810. De que maneira devemos festejar os Dias Festivos (Os feriados) da Santa Igreja?

Nos Dias Festivos (feriados) da Santa Igreja:

  • Devemos abster-nos de todo e qualquer trabalho que tenha por objetivo os lucros ou benefícios.
  • Devemos praticar os atos do Bem;
  • Devemos assistir às cerimõnias religiosas em n ssa Santa Igreja Ortodoxa. "Seis dias trabalharás, e farás tôda a tua obra, Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus: não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro (hóspede), que está dentro das tuas portas" (2 Livro de Moisés 20:9-10).

811. Como devemos interpretar o trabalho destinado a obter lucros ou benefícios?

São todos aquéles que se destinam ao sustento da vida ou à melhoria das condições da mesma.

812. Por aue razão é proibido o trabalho nos Dias Festivos da Santa Igreja?

O trabalho é proibido a fim de que os fiéis possam dedicar o seu tempo integral às obras do Bem e da Piedade.

Diz São João Crisóstomo: "Deus deu-lhe seis dias, conservando um-só para Si. Tu, porém, ofereces tão pouca veneração a Êle, recusando-Lhe mesmo éste único dia da semana, violando-o com trabalhos servis."

813. Que devemos, pois, fazer nos Dias Festivos da Santa Igreja?

  • Devemos assistir às cerimõnias religiosas em nossa Santa Igreja Ortodoxa, participando ativamente nas orações e ouvindo com tóda atenção e todo respeito a Palavra de Deus.
  • Sempre, quando isto fõr possível, devemos participar do Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.
  • Devemos dedicar mais tempo à oração dentro do nosso lar, no seio da nossa família.
  • Devemos aproveitar êste tempo de lazer para lei, tura,s piedosas e instrutivas, destinadas a fomentar os sentimentos benéficos e elevados.
  • Devemos praticar os atos de filantropia, isto é: ajudar os pobres, distribuir esmolas, visitar os doentes, os infelizes e os abandonados, levar o consôlo e a ajuda aos cativos, mesmo àqueles que não conhecemos pessoalmente.

Nunca se deve esquecer que todos os sêres humanos são nossos irmãos em Jesus Cristo Nosso Salvador.

814. Devemos praticar os atos do Bem só nos Dias Festivos da Santa Igreja?

Não. Devemos, na medida do possível, praticá-los todos os dias. O Bem feito nunca é demais. Todavia, as ocupações diárias nem sempre permitem a prática de atos filantrópicos. Portanto, os feriados devem ser dedicados essencialmente a éste nobre objetivo. "Assim resplandeça a vossaluz diante dos homens, para que Vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos Céus" (Evangelho de São Mateus 5:16).

815. Quando devemos orar?

Devemos orar obrigatóriamente todos os dias:

  • Ao levantar e ao deitar;
  • Antes e após as refeições;
  • Antes e depoíis do trabalho;
  • Quando ouvimos o repicar dos sinos da Igreja;
  • Quando sentimos alguma tentação;
  • Quando estamos em alguma necessidade;
  • Quando estamos magoados e tristes;
  • Quando nos sabemos beneficiados por Deus;
  • Quando a nossa oração pode trazer um benefício ao nosso próximo.

816. Como devemos julgar todos aquêles que dedicam o tempo livre dos feriados às ocupações indecorosas, entregando-se aos abusos de ordem material (bebidas em excesso, glutoneria, etc.) e moral (espetáculos cinematográfícos e teatrais de conteúdo imoral, divertimentos ou leituras de fundo obsceno, etс)?

As pessoas que procedem desta maneira ofendem a santidade do dia santificado. É evidente que se a Igreja proíbe qualquer trabalho, mesmo que seja de utilidade, tanto mais pecaminosa torna-se tõda e qualquer atividade, que possa ofender a Deus.

817. O auarto Santo Mandamento da lei de Deus não condena aquéles que em geral não fazem coisa alguma?

Sim. Deus condena diretamente todos aquêles que se dedicam a uma inatividade total, considerando obsoleto o trabalho e passando os dias ou em indolência completa ou em maus divertimentos.

818. Que nos deve afastar da ofensa aos dias santificados?

Deve afastar-nos:

  • O receio dos castigos temporais e eternos, que aguardam os transgressores do quarto Santo Mandamento de Deus;
  • O próprio pensamento de quão pecaminoso e condenável é o fato de não consagrar um dia para a salvação da alma, quando seis dias são dedicados aos bens do corpo;
  • O escândalo que causamos ao nosso próximo quando desrespeitamos os dias dedicados a Deus, principalmente quando êle é atraído pelo mau exemplo;
  • As terríveis conseqüencias que se sequem à ofensa dos dias santificados:
    • A perda da graça santificadora;
    • O endurecimento do coração;
    • A decadência moral do indivídu o e da socie. dade.

 

Sõbre o Quinto

Santo Mandamento

Da Lei de Deus

819. Qual é o quinto Santo Mandamento da Lei de Deus?

É èste: "Honra o teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra."

820. Quais são as obrigações especiais que o quinto Santo Mandamento impõe com relação aos pais?

Ordena:

  • Amar os pais;
  • Honrar os pais;
  • Obedecer aos pais;
  • Cuidar dos pais proporcionando-lhes o bem estar e a tranqüilidade na velhice e na enfermidade;
  • Orar por êles, tanto no decorrer de sua vida quanto após a sua morte;
  • Executar com absoluta exatidão e boa fé o testamento por êles deixado, quando êste último não está em contradição com as leis divinas e humanas, "Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: pois que obedecestes ao mandamento de Jonadab, vosso pai, e quardastes todos os seus mandamentos, e fizestes conforme tudo quanto vos ordenou, Portanto assim diz o Senhor dos Exércitos, Deus de Israel: nunca faltará varão a Jonadab, filho de Rechab, que assista perante a minha face todos os dias" (Livro do Profeta jeremias 35:18-19). (Veja-se também: 2 livro dos Macabeus 12:43-44 e O Sermão sôbre os mortos" de São João Damasceno).

821. Quando pecam os filhos pela falta de respeito a seus pais?

  • Quando os desprezam;
  • Quando se envergonham dêles;
  • Quando falam mal dêles;
  • Quando caçoam dêles;
  • Quando lhes respondem de modo malcriado. "Honra teu pai de todo coração" (Sir. 7:29). "Honra tua mãe durante todos os dias de tua vida" (Tob. 4:3).

822. Quando os filhos pecam contra o amor aos pais?

Pecam contra o amor aos pais:

  • Quando demonstram má vontade na execução das suas recomendações;
  • Quando são descorteses para com êles;
  • Quando os eutristecem;
  • Quando provocam a sua ira;
  • Quando não os auxiliam em necessidade;
  • Quando não os toleram pacientemente na época da velhice ou na enfermidade: "Filho, sustenta a velhice do teu pai, e não o entristeças no decorrer da vida dêle; se, porém, enfraquecesse no vigor, perdoa-o, e não o desprezes na tua fôrça" (Sir. 3:14-15).
  • Quando,deixam de orar por êles.

823. Quando os filhos pecam contra a obediência aos pais?

  • Quando não executam fielmente as suas recomendações;
  • Quando não sequem os seus conselhos e prevenções: "Filhos, sêde obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 6:1). O melhor e primeiro exemplo da obediência aos pais é Nosso Senhor Jesus Cristo.

824. Qual é a recompensa prometida por Deus àqueles que honram seus pais?

Deus promete uma vida longa, cheia de bênção divina e, depois da morte a vida eterna na felicidade imperecível. "Nos atos, na fala e em tõda paciência, honra teu pai, para que venha sóbre ti a bênção dêle" (Sir. 3:9-10).

825. É grande o pecado de não honrar os pais?

Enquanto é fácil e natural amar e honrar os pais, aos quais devemos a nossa vida, tanto mais hediondo é o pe- cado da falta de respeito e dos profundos sentimentos afetivos com relação a êles. As crianças que não obedecem ao quinto Santo Mandamento da Lei de Deus podem esperar terríveis castigos e vicissitudes nesta vida terrena e, o que é muito pior, a condenação eterna depois da morte. As leis do Antigo Testamento condenavam à morte os filhos que não cumpriam êste Santo Mandamento: "E quem amaldiçoar a seu pai ou a sua mãe, certamente morrerá" (2 Livro de Moisés 21:17). "Maldito aquêle que desprezar a seu pai ou a sua mãe" (5 Livro de Moisés Deuteronõmio 27:16).

826. Por que aquéles que honrarem os seus pais são recompensados pelo bem estar e longevidade?

Esta promessa é dada a fim de incentivar o cumprimento irrestrito dêste Santo Mandamento, pois que nêle se constituem tanto os alicerces da família, quanto as bases da própria sociedade humana.

827. Como se realiza esta ppomessa?

Deus concede uma especial importância à bênção paterna. Há vários exemplos desta verdade nos Livros Sagrados do Antigo Testamento. 0 mais conhecido é a história da bênção que o patriarca Isaac deu a seu filho Jacó (1 Livro de Moisés 27). "A bênção dos pais afirma as casas dos filhos" (Sir. 3:9). Na sua infinita e infalível providênciff, Deus concede todas as bênçãos do seu celestial tesouro aos filhos que sabem cumprir o Santo Mandamento, que foi criado especialmente para êles e para que o caminho da vida se lhes torne mais fácil e mais feliz.

828. Por que neste Santo Mandamento se fala só no amor aos pais e não ao nosso próximo em geral?

Fala-se dos pais, porque êstes são naturalmente os primelros a serem atingidos pelo nosso amor e o nosso respeito, subentendendo-se, todavia, todos os nossos próximos sem nenhuma exceção.

829. A quem ainda devemos o amor, o respeito e a obediência?

Devemos o amor, o respeito e a obediência antes de tudo em relação a todos aquêles que, em diversos graus, substituem os nossos pais ou então são os nossos superiores.

830. Quem substitui os nossos pais ou então é o nosso superior?

Os substitutos dos nossos pais du os nossos superiores são:

  • A Pátria e os Governantes da mesma. A Pátria é uma grande família, sendo que os Governantes exercem o poder dos pais e os cidadãos representam os filhos;
  • Os pastores de almas, isto é, os membros do clero da Santa Igreja Universal Apostólica Ortodoxa (bispos, sacerdotes e diáconos). Êstes são os nossos verdadeiros pais espirituais que nos abrem o caminho da eterna salvação por meio dos Santos Sacramentos e da pregação da Palavra de Deus. Êles são os autores do nosso renascimento espiritual e são responsáveis pela educação das nossas almas imortais.
  • Os nossos professores. Êstes mestres de educação social e de instrução científica são responsáveis pelo desenvolvimento do nosso intelecto e pela ampliação e fomentação da nossa cultura. Enquanto a Igreja nos abre os caminhos infinitos dos conhecimentos espirètuais e leva-nos às alturãs dQs céus de Deus, a escola, personificada seus mestres, leva-nos pelas trilhas do saber in lectual, proporcionando-nos melhores possibilida de vencer na vida e conseguindo a elevação aus ciosa da cultura da humanidade;
  • As pessoas mais idosas;
  • Os benfeitores e tutores;
  • Os superiores em todos os sentidos.

831. O que nos ensinam os livros sagrados sôbre o respeito devido às autoridades?

Lemos nos Livros Sagrados: "Tõda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus e os que resistem trarão sóbre si mesmos a condenação" (Epístola de São Paulo, apõstolo, aos Romanos 13:1-2). "Portanto é necessário que lhe estejais sujeito, não sómente pelo castigo, mas também pela consciência" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Romanos 13:5). "Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus" (Evangelho de São Mateus 22:21). "Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o re" (1 Epístola universal de São Pedro, apóstolo 2:17).

832. Ha um limite para o amor à Pátria e a dedicação aos poderes governamentais?

Não deve existir limite algum, pois todos devem estar prontos a oferecer tudo, inclusive a própria vida pela Pátria e os seus legítimos poderes. "Ninguém tem maior amor do que éste: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos" (Evangelho de São João 15:13).

833. O que dizem as Sagradas Escrituras sóbre o respeito devido aos pastôres espirituais (O Clero)? "Obedecei a vossos pastõres, e sujeitai-vos a êles; porque velam por vossas almas, como aquêles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil" (Epístola aos Hebreus 13:17).

834. Quais são as obrigações da mocidade perante as pessoas idosas?

Não sómente a mocidade, mas sim todos sem exceção alguma devem honrar e respeitar as pessoas idosas: "Não repreendas àsperamente os anciãos, mas admoesta-os como a pais; aos mancebos como a irmãos. As mulheres idosas, como a mães" (l Epístola de São Paulo, apóstolo, a Timóteo 5:1-2). "Honrarás a face do velho; e terás temor do teu Deus" (3 Livro de Moisés 19:32).

835. Em que nos baseamos ao afirmar que aos benfeitores devemos honrar como se éles fõssem os nossos pais?

O próprio Salvador deu o exemplo do respeito devido aos benfeitores e aos tutores. Sabemos que, embora São José não fõsse pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, mesmo assim mereceu do Filho de Deus todos os sentimentos filiais: "E desceu com éles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito" (Evangelho de São Lucas 2:51).

836. A quem devemos considerar nossos superiores, os quais temos a obrigação de honrar como se fôssem nossos pais?

Devemos proceder desta maneira com respeito:

  • A todos aquêles que nos proporcionam a educação e a instrução;
  • A todos que cuidam do nosso sustento e da nossa segurança;
  • A todos que nos auxiliam e protegem na vida social;
  • A todos que nos defendem de maus tratos e injustiças por meio de leis estabelecidas (Os juizes);
  • A todos que cuidam da integridade e do bem estar da Pátria;
  • A todos que necessitam da nossa ajuda ou para os quais trabalhamos (Os empregadores, patrões, chefes).

837. Quais são os ensinamentos contidos nas Sagradas Escrituras que falam sóbre o tratamento que deve ser dispensado aos superiores?

"Portanto dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem impõsto, impõsto; a quem temor, temor; a quem honra, honra" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Romanos 13:7).

838. Quais são os ensinamentos das Escrituras Sagra as sôbre as relações entre os subordinados e os superiores?

"Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 6:5, 7). "Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não sómente aos bons e humanos, mas também aos maus. Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente" (I Epístola universal de São Pedro, apóstolo 2:18-19) (Falando em "servos," os santos apóstolos Pedro e Paulo referem-se indubitàvelmente aos trabalhadores em geral. 0 têrmo "servo 11 justifica-se pelo fato que na época dos Apóstolos todos os trabalhadores encontravam-se num ou no outro grau de escravidão).

839. Quais são os pecados principais que afetam os nossos superiores espirituais ou os nossos superiores leigos?

São êstes os principais:

  • A arrogância;
  • A desobediência;
  • O não cumprimento de ordens;
  • A insistência em cometer enganos;
  • As ações prejudiciais cometidas propositalmente (sabttagem);
  • A revolta.

840. Quais são os pecados principais contra os nossos benfeitores?

São os seguintes:

  • A desobediência;
  • A preguiça;
  • A infidelidade;
  • A calúnia;
  • A intriga;
  • A perturbação da tranqüilidade:
  • A indução ao pecado dos familiares ou clos filhos dos béhfeitores.

841. Tratando de obrigações dos filhos e dos subordinados, o quinto Santo Mandamento da Lei de Deus trata também das obrigações dos pais para com' os filhos e dos empregadores ein relação aos empregados?

Sim. O quinto Santo Mandamento da Lei de Deus abrange também êste assunto. Os pais em relação aos filhos e os empregadores em relação aos empregados devem:

  • Instruí-los na verdadeira fé;
  • Induzi-los a todos os atos do Bem;
  • Preservá-los do escândalo;
  • Mostrar-lhes o bom exemplo;
  • Admoestã-los;
  • Puni-los com justiça;
  • Proporcionar-lhes o bem estar merecido.

"E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 6:4). "Vós, senhores, fazei o que fõr de justiça e eqüi- dade a vossos servos, sabendo que também tendes um Senhor nos céus" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Colossenses 4:1).

842. Qual é o tratamento que os pastores espirituais (O Clero) devem dispensar aos fiéis?

Sôbre isto temos os ensinamentos do santo apóstolo Pedro: "Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dêle, não por fórça, mas voluntàriamente: nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; nem como tendo domínio sôbre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho" (l Epístola Universal de São Pedro, apóstolo 5:2-3).

843. Quais são os deveres do Estado perante os cidadãos?

O Estado deve velar:

  • Pela liberdade do culto dos cidadãos;
  • Pela liberdade individual em todos os sentidos dentro da lei;
  • Pelo cumprimento rigoroso da lei que protege a vida e a propriedade do cidadão;
  • Pelo seu bem estar e pela sua prosperidade.

844. Como devemos proceder no caso em que os pais ou os superiores exigirem de n6s procedimentos contrários às leis de Deus?

Neste caso estamos livres da obrigação de obediência. A resposta que deve ser dada às exigências desta natureza é igual àquela que os santos apóstolos deram aos dirigentes judaicos: "Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vo's antes a vós do que a Deus" (Atos Apostólicos 4:19).

"Mais importa obedecer a Deus do que aos homens" (Atos Apostólicos 5:29). Pela Verdadeira Fé Cristã Ortodoxa devemos, quando necessário, oferecer até a própria vida. (Na Lei Antiga: Os irmãos Macabeus, o santo profeta Daniel e os três jovens: Sedrah, Missah e Abnego no forno triplamente aquecido do rei Nabucadnezar. Na Lei Nova: Os santos mártires e confessores da Igreja).

845. Como âe denomina a virtude exigida pelo quinto Santo Mandamento da Lei de Deus?

Denomina-se: A Obediência.

846. Quais são, portanto, em resumo, os ensinamentos do quinto Santo Mandamento da Lei de Deus?

Resumindo, devemos saber que o quinto Santo Mandamento da lei de Deus ordena honrar e respeitar os pais, os pastores espirituais (0 Clero), os professõres (mestres) e todos os superiores. Esta obediência e êste sentimento de dedicação e de respeito devem ser acompanhados de boa fé e de boa vontade, seguindo-se em tudo o luminoso exemplo do Divino Salvador.

Devemos também sempre orar por êles.

Sõbre o Sexto Santo

Mandamento Da Lei De Deus

847. Qual é o sexto Santo Mandamento da Lei de Deus?

O sexto Santo Mandamento reza: "Não matarás."

848. Qual é o impedimento impõsto pelo sexto Santo Mandamento da Lei de Deus?

Proíbe matar, isto é, tirar a vida do próximo ou acarretar a êle um prejuízo material ou espiritual.

849. Em que ocasião a privação da vida do próximo não representa uma transgressão do sexto Santo Mandamento da Lei de Deus?

A privação da vida do próximo não constitui um pecado contra êste santo mandamento:

  • Quando um criminoso é condenado à morte após um julgamento legal;
  • Quando se mata o inimigo durante a guerra ou em defesa da Pátria e dos legítimos poderes governamentais;
  • Quando se mata em defesa dos entes queridos, diretamente ameaçados.

850. Como devemos considerar um homicídio involuntário, quando ocorrido sem qualquer má vontade e acidentalmente?

O homicídio involuntário não pode ser considerado como tal se não foram tomadas tôdas as precauções a fim de impedir o dramático desfêcho. Em todo o caso o assassino involuntário deve recorrer à purificação da consciência de acórdo com o que preceitua a Santa Igreja.

851. Quando je comete um assassínio premeditado?

O assassínio premeditado e de má vontade comete-se:

  • Matando o seu próximo com tôda a noção do ato cometido;
  • Quando o juiz condena à morte o réu, sabendo que o mesmo está inocente ou então não possuindo a certeza absoluta de sua culpabilidade;
  • Quando alguém dá abrigo ou contribui para a libertação ilegal do -homicida, possibilitando, desta forma, outros tantos atos criminosos do condenado;
  • Quando, podendo-se salvar da morte um próximo não se tomam as devidas providências neste sentido (Quando por covardia um bom nadador não procura salvar uma pessoa que está se afogando, ou quando um rico não auxilia um pobre que está morrendo de fome ou de enfermidade, etc).
  • Quando um empregador exige esfôrço demasiado do empregado num trabalho sobremaneira pesado, demonstrando crueldade ou infligindo-lhe castigos insuportáveis, tornando assim mais próxima a sua morte;
  • Quando se causa um ferimentb no próximo;
  • Quando se causa mágoa ao próximo, que pode ter conseqüencias fatais;
  • Quando com a intemperança ou com outros fatôres semelhantes abrevia-se o tempo de vida do próximo.

852. Quem se prejudica a si próprio materialmente?

Aquêle que tira a vida a si próprio, que abrevia a sua própria vida por meio de vícios perniciosos para a saúde e outros fatóres similares, e que expõe a sua vida aos perigos sem necessidade alguma.

853. Como devemos considerar o suicídio?

Devemos considerá-lo o assassinato mais criminoso de tôdas as categorias existentes de homicídios. É evidente que causar a morte do próximo representa um crime terrível, tanto mais o auto-homicídio é ainda mais hediondo. A vida não representa a nossa exclusiva propriedade e por esta razão não podemos dispor dela conforme bem entendemos. Só Deus, que nos deu a vida, pode tirá-la!

854. Como peca aquêle que comete o suicídio?

Peca:

  • Contra Deus, que é o único que pode dispor sõbre a vida e a morte;
  • Contra a sua alma imortal, que fica assim condenada ao eterno suplício;
  • Contra o seu próximo, que fica prejudicado, entristecido e magoado.

855. O sexto Santo Mandamento de Deus proibe vs duelos?

Sim. Proíbe os duelos, pois representam um convênio para a luta entre duas pessoas, cujo desfêcho natural é a morte de um dos adversários ou pelo menos ferimentos.

856. Quais são as considerações que devemos tecer com respeito aos duelos destinados a resolver rixas e desentendimentos entre os homens?

Para a solução dos litígios e desentendimentos 'existem instituições legais, especialmente criadas para êste fim.

Aquêles que se entregam ao processo de duelo, evitam propositalmente o arbítrio dessas instituições. Desta forma cometem-se os seguintes pecados:

  • A rebelião contra os poderes legais instituídos;
  • O homicídio;
  • O suicídio.

857. Como a Santa Igreja castiga o suicídio e o duelo?

Ao suicida ou ao morto em duelo a Santa Igreja recusa o sepultamento cristão. Independente disto, os participantes do duelo são excluidos da comunidade da Santa Igreja.

858. Além do homicídio material existe também o homicídio espiritual?

Sim. São os seguintes os modos principais de homicídio espiritual:

  • A tentação, isto é, quando se induz o próximo a abandonar a Fé Verdadeira, e cometer um crime;
  • A cometer um ato que levaria ao perigo a alma imortal;
  • O escâhdalo do próximo,

"Mas qualquer que escandalizar um dêstes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fôra que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar" (Evangelho de São Mateus 18:6).

859. Quando escandalizamos nosso próximo?

Escandalizamos o próximo, quando com atos ou palavras damos-lhe um pretexto para cometer pecado, ou então quando o conduzimos propositalmente ao mal.

860. Quais são as outras proibições do sexto Santo Mandamento?

O sexto Santo Mandamento proíbe ainda:

  • Todos os atos e tôdas as palavras contrários ao preceito do amor ao próximo;
  • Todos os atos e tõdas as palavras que possam perturbar a tran-uilidade e a segurança do próximo;
  • Tóda demonstração de ódio externado ou escondido;
  • Tóda demonstração de inveja;
  • Tõda demonstração de ira ou de excitabilidade;
  • Tôdas as expressões insultuosas, pragas etc.;
  • Tudo que possa prejudicar o próximo material ou espiritualmente;
  • Desejar,morte ou desgraça ao próximo: "Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida" (l Epístola Universal de São João, apostolo 3:15). "Eu, porém, vos digo que qualquer que se encolerizar contra seu irmão, será réu do Juizo" (Evangelho de São Mateus 5:23).

861. Proibindo-se a ameaça da vida do próximo, que se ordena em contrário?

Ordena-se velar pela vida e o bem estar do próximo com todo o empenho e dedicação.

862. Quais são os deveres decorrentes desta ordem?

São êstes:

  • Velar pela saúde do corpo e da alma;
  • Auxiliar os pobres;
  • Cuidar dos enfermos;
  • Consolar os entristecidos e magoados;
  • Aliviar a sorte dos infelizes e desgraçados,
  • Manter a paz e a concórdia com o próximo tratando-o com espírito meigo e caritativo e demonstrando-lhe o amor e a dedicação;
  • A todos dar um,bom exemplo;
  • Procurar a todo custo o apaziguamento com aquêles que nos são hostis;
  • Recompensar sem demora todos os prejuízos materiais ou morais causados ao nosso próximo, volun- tária ou involuntàriamente;
  • Perdoar aos nossos ofensores irrestritamente;
  • Fazer o bem a todos, inclusive aos nossos inimigos.

863. Que mais devemos saber sõbre o sexto Santo Mandamento da Lei de Deus?

Devemos saber que éste Santo Mandamento proíbe terminantemente judiar dos animais, independente do grupo ou família zoológica a que pertencerem (Desde os menores insetos até os maiores mamíferos). Outrossim é proibido matá-los quando isto não é absolu. tamente necessário para o sustento ou conservação da vida humana. Os antigos consideravam certos alimentos como sendo "impuros" e não os comiam (Carne de porco, órgãos internos dos animais, certos tipos de peixes, etc). Na Lei Nova êste assunto ficou definitivamente solucionado no decorrer da milagrosa visão que teve o santo apóstolo Pedro durante a sua permanência na cidade de Joppe: "Estando eu orando na cidade de Joppe, tive, num arrebatamento dos sentidos, uma visão; via um vaso, como um grande lençol que descia do céu e vinha até junto de mim. E, pondo nêle os olhos, considerei, e vi animais da terra, quadrúpedes e feras, e répteis e aves do céu. E ouvi uma voz que me dizia: Levanta-te Pedro; mata e come" (Atos Apostólicos 11:5-7).

Desta forma é Vidente que todos os animais, sem qualquer exceção, (excluindo-se naturalmente os animais venenosos), podem servir de alimento aos homens. Todavia devemos distinguir a matança de animais destinados a êste fim do assassínio em massa cometido durante as caçadas ou competições, denominadas erradamente "esportivas," e que consistem em tirar, a sangue frio, a vida a centenas ou milhares de animais indefesos. Da mesma forma considera-se pecado matar pássaros pequenos, (que não podem servir de alimento), por meio de estilingues ou outra arma qualquer. Deve-se impedir que os moços, desde a mais tenra idade, se entreguem a práticas homicidas nos pequenos animais indefesos, pois estas práticas criminosas constituem o primeiro passo na trilha dos futuros crimes. O santo apóstolo Paulo denomina os animais "Os nossos irmãos menores." Disto se seque, que é de nossa obrigação protegê-los e cuidar dêles, impedindo que fiquem sujeitos a maus tratos ou sofrimentos.

 

Sõbre o Sétimo

Santo Mandamento

Da Lei de Deus

864. Qual é o sétimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

O sétimo Santo Mandamento reza: "Não adulterarás."

865. Que proíbe?

O sétimo Santo Mandamento proíbe:

  • O adultério;
  • Tudo aquilo que afeta a pureza ou a vergonha;
  • Tudo aquilo que causa a perda da pureza e da vergonha.

866. Quais são os pecados que entram nesta categoria de proibições?

  • O próprio adultério, isto é, o desvio consciente e voluntário do amor devido ao cõnjuge, a outra ou a outras pessoas; é o pecado contra a castidade;
  • A prostituição, isto é, um amor físico ilegal entre pessoas não unidas pelos laços sagrados do matri, mônio;
  • Matrimõnio consangüíneo, isto é, o casamento realizado entre pessoas aparentadas. As leis da Santa Igreja discriminam com tôda exatidão os graus de parentesco em que os casamentos estão proibidos,

Deixamos de discriminar outros pecados igualmente hediondos, que representam a transgressão do sétimo Santo Mandamento da lei de Deus, seguindo o conselho do Santo Apóstolo das Nações: "Mas a prostituição, e tõda a impureza ou avareza, nem ainda se nt)meie entre vós, como convém a Santos" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 5:3).

867. Quais são as considerações que devemos tecer sôbre o pecado do adultério?

Disse Nosso Senhor Jesus Cristo: "Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar (olhar) numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela" (Evangelho de São Mateus 5:28). Na realidade é mister combater o pecado logo no início. Como é fácil maàiejar o pequeno barco quando sopra um vento ameno, tanto difícil e às vêzes de todo impossível de fazê-lo durante um temporal. Assim, também, ao primeiro sinal do pecado, devemos recolher o "barco" da nossa alma imortal a um pórto seguro da meditação e da oração a fim de que as ondas revõltas do mar da vida não o despedacem nas rochas do pecado.

868. Quais são os fatóres que ofendem a castidade?

São os seguintes:

  • Os pensamentos e os desejos impuros;
  • As conversas, canções e piadas indecorosas;
  • Os olhares indecorosos e todos os atos dêstetipío, que possam ofender a pureza. "Nem torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não convêm; mas'antes ações de graças" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 5:4).

869. O que conduz ao pecado contra a castidade?

Ao pecado contra a castidade conduz:

  • A falta de vigilância com a ação dos olhos. Deve-se tomar cuidado para não olhar para as coisas obscenas;
  • A apreciação de imagens, quadros, gravuras etc., de conteúdo obsceno;
  • A leitura de literatura obscena e pornográfica, isto é, de livros de conteúdo maléfico para a pureza da alma e de revistas impregnadas de tõda espécie de elementos nocivos e atentadores contra a castidade.
  • O freqüentar de espetáculos teatrais e cinematogrã. ficos sem que se tenha a certeza absoluta de que o conteúdo da apresentação não atenta contra a moral e a ética em geral e contra as leis da Santa Igreja em particular;
  • O uso de trajes indecentes. É mister salientar que o século materializado e corrupto em que vivemos caracteriza-se pela caída brusca e evidente dos bons costumes. Isto é sobretudo perceptível no modo indecoroso de trajar-se. Não sómente nas praias mas também nas próprias cidades, principalmente as moças não sequem os preceitos da decência, usando vestidos demasiadamente ousados. A Santa Igreja luta obstinadamente contra êste tipo de abusos, proibindo, antes de tudo, o ingresso dessas criaturas levianas nos recintos sagrados dos templos. Cabe, entretanto, aos pais na educação no próprio lar, o grosso da tremenda responsabilidade de sal. var as almas dos seus filhos da eterna perdiç ão.
  • As relações libertinas com pessoas de sexo oposto. Sobretudo entre os moços deve ser estabelecida uma atmosfera de cordial simpatia e de pura amizade, desprovida de elementos que exploram a sensualidade e os vícios essencialmente animalescos;
  • A má companhia; deve-se evitar a todo custo que os jovens permaneçam em companhia de pessoas de maus instintos, de educação inferior ou de moral baixa;
  • Os bailes e festas similares, nos quais há perigo direto de escãndalo em virtude da indecência e libertinagem das danças modernas, que constituem um verdadeiro atentado ao recato e ao pudor;
  • A inatividade, ou falta de ocupação proveitosa e interessante leva aos pensamentos pecaminosos, desviando a atenção para tudo aquilo que possa prejudicar a pureza da alma;
  • A intemperança no comer e no beber, Os cientistas e os médicos chegaram à conclusão de que o intestino abarrotado de alimentos mal digeridos causa um aumento sensível de pressão sangüinea no cérebro. Êste fenõmeno aumenta sensivelmente a excitabilidade do indivíduo, tornando-o mais suscetível de cometer tôda sorte de abusos e iniqüidades. Alimentando-se moderadamente e evitando abusos de tõda natureza, pode-se ter a garantia de sucesso na luta contra o pecado.

870. Como se deve proceder quando não possuimos a certeza sôbre se alguma coisa é ou não é contrária a éste Santo Mandamento?

Deve-se consultar incontinenti os pais ou o confessor.

871. Por que razão devemos fazer tudo a fim de evitar os pecados contra a castidade?

  • Porque êsses pecados, embora sejam só no pensamento' entram na ordem de "pecados graves" (ou cnortais);
  • Porque êsses pecados tornam impuros tanto a alma quanto o corpo, que é o templo do Divino Espírito Santo: "Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá porque o templo de Deus, que sois vos, e santo" (1 Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Coríntios 3:17).
  • Porque podem ter as mais terríficas conseqüencias.

872. Quais são as conseqüências dos atentados contra a castidade?

São as seguintes:

  • A indiferença com respeito a Deus e as coisas divinas;
  • A cegueira intelectual;
  • A insensibilidade do coração (dos sentimentos);
  • A miséria material;
  • Diversas doenças, das quais algumas incuráveis com os métodos da medicina moderna (loucura, etc.);
  • Os crimes;
  • A desonra;
  • A eterna condenação.

873. Que se deve fazer a fim de conservar a castidade?

Deve-se:

  • Evitar os perigos e as ocasiões que levam ao pecado contra a castidade;
  • Orar pela preservação da pureza;
  • Participar com freqüencia dos Santos Sacramentos da Penitência e da Eucaristia;
  • Combater firmemente as tentações;
  • Constantemente lembrar-se de que Deus vê tudo e que podemos morrer a qualquer nioniento;
  • Evitar até de olhar para as coisas que possam tentar-nos: "Portanto se o õlho direito te escandaliza, arranca-o e atira-o para longe de ti, pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno" (Evangelho de São Mateus 5:29).

874. Se formos, pois, tentados pela vista, devemos na reali- dade arrancar os nossos olhos?

Devemos arrancar os nossos olhos, porém não fisicamente, mas sim, espiritualmente, por intermédio da nossa fôrça de vontade. Aquêle que toma a firme e inabalável decisão de não olhar para as coisas ilrpróprias, já "arrancou o seu ôlho escandalizador."

875. Proibindo o adultério, o que ordena o sétimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Ordena:

  • Aos cônjuges permanecer sempre no amor e na fidelidade;
  • A todos que sentem que podem conservar a castidade, permanecer neste estado durante tôda a vida;
  • Conservar a probidade e a pureza nos pensamentos, nos olhares, nas palavras e nos atos;
  • Fazer uso de todos os meios a fim de preservar e cultivar a castidade.

876. Como falam as Escrituras Sagradas sôbre os deveres dos cõnjuges?

"Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da Igreja: sendo Êle: próprio o Salvador do corpo. De sorte que, assim como a Igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seuslmaridos. Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja, e a Si mesmo se entregou por ela, Para santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a Si mesmo Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesino" (Epístola de Sto Paulo, apóstolo, aos Efésios 5:22, 28).

877. Quais são as recomendações encerradas nas Sagradas Escrituras a fim de evitar o despudor e o atentado contra a pureza?

As Sagradas Escrituras recomendam o cuidado máximo que ve ser dispensado para a con ervação da castidade tanto física. quanto espiritual: "Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo! Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (1 Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Corintios 6:15, 18-19). Outrossim, as Sagradas Escrituras recomendam uma vigilância constante, para que o pecado não venha por descuido ou relaxamento temporário da fõrça de vontade. Permanecendo no estado de pureza assemelhamo-nos aos santos anjos, tornando-nos especialmente queridos aos olhos do Todo-poderoso: "Quão belo é o gênero puro!" (Sabedorias 4:1).

 

Sõbre o Oitavo

Santo Mandamento

Da Lei De Deus

878. Qual é o oitavo Santo Mandamento da Lei de Deus?

É êste: "Não furtarás."

879. O que nos proíbe éste Santo Mandamento?

O oitavo Santo Mandamento proíbe o, roubo, como também todo e qualquer prejuízo que poderíamos, porventura, causar à propriedade alheia.

880. Como se pode causar prejuízo à propriedade alheia?

Da seguinte maneira:

  • O roubo, isto é, apropriação indébita e clandesUna da propriedade alheia;
  • O assalto, isto é, a apropriação indébita da propriedade alheia por meio de violência;
  • O lõgro, isto é, apropriação indébita da propriedade alheia por meio de astúcia.

Exemplos:

    • Passar moeda falsa;
    • Vender. mercadoria inferior como sendo superior;
    • Cometer o lógro no pêso da mercadoria; d) Falsificar a mercadoria;
    • Esconder propositalmente as falhas da mercadoria;
    • Esconder os seus bens reais a fim de não pagar as dividas;
    • Não executar um testamento;
    • Não manter os convênios;
    • Esconder um culpado no roubo ou nas contravenções similares, impedindo assim o seu castigo e a retribuição de danos causados à vítima;
    • Exigir pagamento superior ao valor do trabalho executado;
    • Apropriação indébita da propriedade alheia por meio de falsificações de documentos, declarações falsas ou corrompendo as testemunhas.

  • sacrilégio, isto é, apropriação indébita de tudo aquilo que é consagrado a Deus e pertence à Santa Igreja;
  • sacrilégio espiritual, que ocorre quando uns concedem e outros recebem as dignidades eclesiásticas não pelos seus merecimentos, mas sim pelas vantagens materiais ou outras;
  • parasitismo, isto é, quando se recebe uma recompensa material pelo trabalho ou encargo que não foi executado, ou chegou a ser executado com desleixo. Desta forma, aquêles que cometem esta contravenção roubam a recompensa recebida, Quando o culpado é um dirigente social ou um membro do govêrno, o prejudicado torna-se o próprio povo e o Estado. Os parasitas sociais são também os mendigos, que ao invés de se dedicarem a um trabalho produtivo recorrem ao lõgro do seu próximo a fim de adquirir meios de vida, que consideram mais fáceis do que o trabalho honesto.
  • subõrno, isto é, uma ação destinada a gratificar a outrem pelos atos injustos e contrários à verdade. Pertence a esta categoria também a própria tentativa do ato. Da mesma forma, aquêles que elevam na dignidade os indignos, a fim de usufruir lucros; inocentam os culpados ou perseguem os inocentes com a mesma finalidade lucrativa, cometem o crime de subôrno;
  • A agiotagem. Os agiotas são aquéles que emprestando o dinheiro aos necessitados exigem a devolução do mesmo acrescido de uma porcentagem exageradamente elevada. A mesma contravenção cometem os comerciantes que elevam propositadamente os valores de venda das mercadorias, sem que haja para isto uma justificação legal, Aquêles que se aproveitam da difícil situação do próximo a fim de usufruir lucros indébitos, cometem o mesmo crime;
  • A exploração, isto é, quando alguém atenta contra a propriedade alheia, encobrindo-se com direitos fictícios, e na realidade transgredindo as regras da justiça. O mesmo acontece com respeito à exploração indébita do trabalho do próximo, quando se dificulta propositalmente a vrda do mesmo por meio de impostos ou descontos de caráter ilícito ou por meio de sobrecarga no trabalho;
  • A extorsão. Esta ocorre, quando se exigem valores monetários ou outros, por meio de ameaças à vida, segurança, integridade ou prosperidade do próximo.

881. Que devemos saber dos pequenos furtos e dos pequenos logros?

Devemos saber que:

  • Êles levam diretamente para furtos e logros de vulto no futuro;
  • Que êles constituem invariàvelmente um pecado;
  • Que êles podem se tornar causa direta de,um pecado mortal, quando de pequenos furtos e logros passariam para furtos e logros de importância maior, mesmo sem o concurso do livre arbítrio do culpado.

882. Quem ainda comete o pecado de retenção da propriedade alheia?

Comete êste pecado:

  • Aquêle que não devolve ao legítimo proprietário os objetos achados, emprestados, ou confiados aos seus cuidados;
  • Aquêle que não efetua no prazo estabelecido os pagamentos compromissados.

883. Quem comete o pecado de voluntário e indébito estrago da propriedade alheia?

Comete êste pecado:

  • Aquêle que admite o relaxamento e executa com pouco empenho e insuficiente dedicação os trabalhos que lhe foram confiados;
  • Aquêle que por meio de informações falsas ou calúnias afasta os compradores do comerciante, causando-lhe desta maneira graves danos materiais;
  • Aquèle que estraga os bens do próximo incendiando-os ou destruindo-os de outra maneira voluntária e proposital.

884. Quem deve ser considerado cúmplice do atentado contra a propriedade alheia?

O cúmplice do atentado contra a propriedade alheia é todo aquéle:

  • Que ordena, aconselha ou auxilia a causar um dano ao próximo ou à propriedade do mesmo;
  • Que recebe, compra ou guarda os objetos indèbitamente adquiridos;
  • Que permanece calado ou não procura impedir os pecados, que trazem o mal e a infelicidade ao próximo, prejudicando a integridade dos seus bens, principalmente quando nada impede que êste seja avisado em tempo para poder tomar as providências necessárias à sua defesa.

885. Que nos ordena'o oitavo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Ordena:

  • Deixar com o alheio o que a êle pertence,
  • Tudo que fôr adquirido de modo indébito, devolver incontinenti ao legítimo proprietário;
  • Recompensar todos os danos causados;
  • Se houver impedimento de recompensar os danos causados imediatamente, procurar, por todos os meios, localizar a pessoa prejudicada ou os seus herdeiros. Se, todàvia, a localização dos mesmos fõr impossível, inverter a importância integral do prejuízo causado para fins beneficentes.

886. Quem tem a obrigação de devolver o objeto adquirido ilegalmente ou recompensar o dano causado?

A devolver o objeto adquirido ilegalmente e recompensar os danos causados está obrigado:

  • Aquêle em cujo poder se encontra o objeto adquirido indèbitamente. Se o objeto deixou de existir, devido ao desgaste ou o uso prolongado, deve ser devolvido o seu valor legal;
  • Aquéle que é indiretamente responsável pelo dano causado, isto é, o mandante;
  • Aquêle que foi o causador do dano;
  • Aquêle que. não impediu a efetivação do dano causado ao próximo, embora houvesse ensejo para tanto;
  • No caso em que haja mais culpados no prejuízo causado ao próximo, cada um dêles tem a obrigação de recompensar as perdas e os danos, quando os demais não possuem meios para isto ou não podem ser localizados por uma razão qualquer.

887. Quais são as virtudes exaltadas pelo oitavo Santo Mandamento da Lei de Deus?

São estas as virtudes exaltadas:

  • A honestidade;
  • O altruísmo;
  • A fidelidade;
  • A justiça;
  • A caridade;
  • A generosidade.

888. Aquêle que não possui os sentimentos de caridade em relação ao próximo peca contra o oitavo Santo Mandamento?

Aquêle que pode ajudar o seu proximo e não o faz, comete um pecado grave transgredindo o oitavo Santo Mandamento da Lei de Deus. Tudo que possuímos pertence a Deus. Se, portanto, não partilhamos com o nosso próximo o supérfluo que Deus nos envia, não cumprimos com a nossa obrigação, pois tudo aquilo que Deus nos deu acima das nossas necessidades destina-se a possibilitar-nos'as ações do Bem e da Justiça.

889. Qual é a maior virtude, aue constitui o oposto a todos os pecados dirigidos contra o oitavo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Esta virtude denomina-se: "Pobreza." A pobreza, na realidade, não é uma obrigação exigida pela Lei dedDeus, porém é um meio eficaz para alcançar a verdadeira bem-aventurança e perfeição: "Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu" (Evangelho de São Mateus 19:21).

 

Sõbre o Nono

Santo Mandamento

da Lei de Deus

890. Qual é o nono Santo Mandamento da Lei de Deus?

É éste: "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo."

891. O que proibe o nono Santo Mandamento?

Proíbe:

  • O testemunho falso contra o próximo;
  • A mentira;
  • A falsidade;
  • Toda ação que cause dano à honra e ao bom nome do próximo.

892. Qual é a proibição compreendida pelo falso testemunho?

Proibem-se:

  • Testemunhar falsamente perante um tribunal d e justiça leiga ou eclesiástica, em assuntos de qualquer natureza e de qualquer importância.
  • Acusar falsamente o próximo das transgressões ou atos que não tenha cometido.

893. Quem comete o pecado da mentira?

Mente aquêle que conscientemente declara aquilo 'que não é verdade: "(O diabo) ... não se firmou na verdade, porque não há verdade nêle; quando éle profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira" (Evangelho de São João 8:44). (Veja-se também a história de Ananias e Safira nos Atos Apostólicos 5:1, 11).

894. Quem comete o pecado da falsidade?

Comete o pecado da falsidade todo aquêle que finge ser melhor, mais piedoso, mais carinhoso ou mais virtuoso do que o é na rtalidade.

895. Quais são os pecados que prejudicam a honra ou o bom nome do próximo?

São os seguintes:

  • A desconfiança;
  • A suspeita leviana;
  • A calúnia;
  • Os mexericos;
  • A intriga;
  • A ofensa.

896. É permitido falar mal dos outros quando éstes últimos realmente o merecem?

As Sagradas Escrituras proíbem falar mal do próximo em tôdas as ocasiões imaginãveis, salvo quando somos chamados para isto legalmente (Juízes). "Não julgueis, para que não sejais julgados" (Evangelho de São Mateus 7:1).

897. É permitida a méntira quando não se pretende prejudicar com ela ao próximo?

A mentira não é admissível em hipótese alguma, pois encontra-se em flagrante contradição com o amor e o respeito devido ao próximo, estando em desacõrdo com a dignidade humana e os princípios básicos do Cristianismo, que se baseiam em alicerces da Verdade, da Justiça e do Amor. "Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo" (Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Efésios 4:25).

898. Quem comete o pecado da desconfiança?

Comete o pecado da desconfiança aquéle que procura antever algum mal no seu próximo, quando na reali. dade êsse mal não existe.

899. Quem comete o pecado da suspeita leviana?

Comete o pecado da suspeita leviana quem, com tôda segurança, atribui um mal qualquer a seu próximo, não possuindo provas para isto.

900. Quem comete o pecado da calúnia?

Comete-o aquêle que inventa tõda espécie de males, atribuindo-os ao próximo ou, então, aumenta propositalmente a importància dos males realmente existentes.

901. Quem coniete,o pecado de mexericar?

Comete-o aquêle que revela, sem necessidade alguma, os erros e males realmente existentes no seu próximo.

902. Quando é permitido revelar os erros e os males do próximo?

Deve-se revelar os erros e os males do próximo, quando isto possa contribuir para a sua correção, ou quando se pode, por éste meio, impedir um mal de maior gravidade.

903. Como devemos proceder, quando somos forçados a ouvir conversas prejudiciais ao nosso próximo?

Não devemos, antes de tudo, tomar qualquer parte nesta conversação. Antes, devemos demonstrar a nossa insatisfação e tentar impedir a continuação dêste gênero de conversa.

904. Quem comete o pe cado da intriga?

Todo aquêle que leva ao conhecimento do seu próximo as opiniões verídicas ou inverídicas externadas por terceiros, com a finalidade direta de criar inimizade entre uns e outros.

905. Quem comete o pecado da ofensa?

Comete o pecado da ofensa, quem atenta contra a honra e a integridade moral do próximo por meio de atos ou de palavras.

906. Que deve fazer aquéle que ofendeu a seu próximo?

O causador da ofensa deve:

  • Revogar incontinenti as palavras ofensivas ou corrigir os efeitos maléficos dos atos ofensivos;
  • Pedir perdão pela ofensa.

907. Que nos ordena o nono Santo Mandamento da Lei de Deus?

Ordena:

  • Honestidade e sinceridade em relação ao próximo, tanto em atos quanto em palavras;
  • A defesa e o cuidado do bom nome e da honradez do próximo.

908. Que mais devemos fazer a fim de bem cumprir o nono Santo Mandamento da Lei de Deus?

Devemos ser moderados e cautelosos em nossas palavras. "Porque quem quer amar a vida, e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano" (PI Epístola universal de São Pedro, apóstolo 3:10). "Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião dêsse é vã" (Epístola universal de São Tiago, apóstolo 1:26).

Sõbre o Décimo

Santo Mandamento

da Lei de Deus

909. Qual é o décimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

O décimo Santo Mandamento da Lei de Deus reza: "Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo."

910. O que proíbe o décimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Proíbe:

  • Os desejos que contrariam o amor ao próximo;
  • Os pensamentos voluntários que ofendem o amor ao próximo;
  • Os desejos pecaminosos de possuir a propriedade do próximo.

911. Por que êste Santo Mandamento proíbe não sómente os atos pecaminosos mas também os pensamentos e de- sejos da mesma ordem?

Proíbe tanto os atos quanto os desejos e pensamentos pecaminosos:

1) Porque se um pensamento ou um desejo pecaminoso chegou a penetrar na alma, esta última já perdeu o seu estado natural de pureza, deixando de ser digna da graça de Deus: "Os pensamentos maus são imundícia nos olhos do Senhor" (Provérbios do rei. Salomão 15:26). Esta é a razão pela qual devemos evitar as impurezas, espirituais, procurando a todo custo conservar a castidade de nossa alma: "Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espirito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus" (2 Epístola de São Paulo, apóstolo, aos Coríttios 7:1).

2) Porque a fim de impedir os atos pecaminosos deve-se, antes de tudo, combater os desejos e pensamentos impuros, que representam os grãos dos quais germina todo o mal: "Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem" (Evangelho de São Mateus 15:19-20). "Cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera,a morte" (Epístola universal de São Tiago, apóstolo 1:14-15).

912. Qual é o sentim-ento pecaminoso condenado pelo décimo SanW Mandamento da Lei de Deus?

O sentimento pecaminoso denomina-se: Inveja.

913. Que se proíbe com os dizeres: "Não cobiçarás a mulher do teu próximo?"

Proíbem-se os desejos e os pensamentos impuros e indecorosos, como também o adultério espiritual, isto é, cometido no pensamento.

914. Qual é o significado das palavras: "Nãocobiçarás a casa do teu próximo, nem o servo, nem a serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo?"

Com estas palavras Deus proíbe os pensamentos e os desejos que levam à apropriação dos bens do próximo tanto em sentido material quanto espiritual. Independente disto indica o pecado que se encerra no desejo de possuir fortunas em dinheiro e haveres, como também em procurar atingir elevadas dignidades e poderes.

915. Que ordena o d écimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Ordena:

  • Manter o coração puro e livre de todos os pensamentos e desejos impuros;
  • Estar satisfeito de sua sorte, isto é, estar sempre contente com tudo aquilo que possuímos;
  • Dar a cada um aquilo que lhe devemos.

916. Que nos ensina o décimo Santo Mandamento da Lei de Deus?

Ensina-nos que Deus não é sómente o Senhor dos nossos corpos mas também das nossas almas imortais. Por esta razão não sómente as ações do nosso corpo mas também os nossos desejos e os nossos pensamentos devem estar sempre em acôrdo com as Leis de Deus e com a sua suprema vontade.

917. O que, antes de tudo, é necessário para a purificação do nosso coração?

Para que o nosso coração permaneça sempre puro devemos invocar constántemente o SACROSSANTO NOME DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, dizendo: "SENHOR JESUS CRISTO, FILHO DE DEUS, TEM PIEDADE DE MIM, PECADOR."

 

Sõbre a Aplicação

Dos Ensinamentos da fé E

Da Religiosidade

918. Como devemos aplicar os ensinamentos da Fé e da Religiosidade?

Devemos aplicã-los não só em teoria, mas, antes de tudo, na prática dentro da própria vida cotidiana. Tudo que temos aprendido por intermédio da "Doutrina Cristã Ortodoxa" constitui um conjunto de verdades, que formam o alicerce do bem estar da humanidade. O não cumprimento dêstes preceitos leva à decadência, infelicidade eb, como-resultado final, à condenação eterna: "Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as fizerdes" (Evangelho de São João 13:17). "E o servo que soube a vontade do seu Senhor, e não se aproUtou, nem fêz conforme a sua vontade, será castigado " (Evangelho de São Lucas 12:47).

919. Como devemos proceder, ao perceber que o pecado se apoderou do nosso coração?

Devemos imediatamente fazer a penitência. Após acurado exame de consciência devemos confessar os nossos pecados e purificar definitivamente a alma no Santo Sacramento da Eucaristia. Antes, porém, devemos in-

continenti fazer todo o possível para remediar o mal que, porventura, tivermos causado, pedindo o perdão àquele que ficou de qualquer modo por nós prejudicado. Devemos, também, prometer solenemente que nunca mais voltaremos a cometer a mesma iniqüidade e manter para sempre esta sagrada promessa. "Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado" (Evangelho de São Lucas 19:8).

920. Que devemos sentir quando cônscios de haver executado com precisão os santos mandamentos da Lei de Deus?

Devemos proceder de acõrdo com os ensinamentos de nosso Senhor Jesus Cristo: "Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos fõr mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos sómente o que devíamos fazer" (Evangelho de São Lucas 17:10).

 Go to the top


Editado por determinação do

Reverendíssimo Pe. Arquimandrita

ISSAIA ABBUD

Excelentíssimo Legado Patriarcal no Brasil

Por

JERZY BERKMAN KARENIN

Professor do "Colégio Vítor Viana,"

Ex-secretário particular

do Arcebispo de Varsóvia e Protodiácono.

Publicação da Santa igreja Grego-Ortodoxa do Brasil 1957

 

Reprinted by

Holy Protection Russian Orthodox Church

2049 Argyle Ave. Los Angeles, California 90068

Editor: Bishop Alexander (Mileant)

 

(doutrina_crista_ortodoxa_4.doc, 12-10-98)